Peter Foley/EFE
Peter Foley/EFE

EUA, Canadá e México defendem antecipação da definição sobre sede da Copa de 2026

Os três países apresentaram candidatura tripla para sediarem o primeiro mundial com 48 seleções

Estadao Conteudo

11 Abril 2017 | 10h34

A candidatura conjunta de Estados Unidos, Canadá e Estados Unidos para sediar a Copa do Mundo de 2026 pediu à Fifa que adiante para junho de 2018 a sua decisão sobre quem organizará o torneio, dois anos antes do previsto.

As federações de futebol dos Estados Unidos, México e Canadá pediram em uma carta, a que teve acesso a agência de notícias The Associated Press, que a organização leve em conta o pedido no seu congresso do próximo mês no Bahrein.

A candidatura foi apresentada na última segunda-feira em Nova York e é, até agora, a única opção realista para as 211 federações da Fifa, que está prevista parra definir a sede em maio de 2010. Este calendário pode ser acelerado na reunião de 11 de maio, em Manama.

Os três países propuseram a inclusão de um novo item na agenda do encontro no Bahrein para que os membros da Fifa possam tomar uma "decisão preliminar" para que o torneio de 2026 seja "organizado de modo conjunto e cooperativo" na América do Norte.

Se isso for aprovado, a Fifa poderia convidar os candidatos para demonstrar a cumprimento de todos os requisitos técnicos. Isso daria espaço para preparar uma confirmação dos anfitriões de 2026 no congresso seguinte da organização, que será realizado em Moscou. A capital da Rússia organizará a reunião anual na véspera do primeiro jogo da Copa do Mundo de 2018.

As regras da Fifa sobre as candidaturas tornam a oferta da América do Norte a grande favorita, porque a Europa e a Ásia não podem disputar o processo. Estes continentes estão vetados porque vão sediar as duas edições anteriores da Copa do Mundo, na Rússia, em 2018, e no Catar, em 2022.

Países da América do Sul e África podem competir com a proposta da América do Norte, embora a Argentina e o Uruguai, que foi o anfitrião da primeira Copa do Mundo, em 1930, estão focados em um torneio centenário em 2030. Considera-se que a África carece de instalações, mesmo para uma proposta conjunta que lhe permita organizar um torneio expandido para 48 seleções, o que aumenta as demandas sobre estádios, campos de treinamento, hotéis e transporte.

"No caso da candidatura cooperativa não cumprir os requisitos técnicos, o processo de candidatura se reabriria a todas as federações segundo as condições apresentadas pelo Conselho da Fifa", indicou, em sua carta, os representantes dos países da América do Norte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.