Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Felipe Melo festeja volta ao time e diz amar mais o Palmeiras

Volante retornou ao time, após 78 dias sem jogar, depois de desentendimento com o técnico Cuca

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

12 Outubro 2017 | 23h40

O volante Felipe Melo voltou ao jogar pelo time do Palmeiras após 78 dias e, apesar do resultado não ter sido positivo, ele deixou o gramado do Pacaembu feliz por ter ajudado a equipe no empate por 2 a 2 com o Bahia, nesta quinta-feira. O jogador aproveitou o retorno para fazer juras de amor ao clube.

+ Palmeiras empata com o Bahia e deixa o Pacaembu vaiado

"Quando eu cheguei, eu lembro na minha entrevista inicial que eu vim pra ajudar o Palmeiras, que o Palmeiras coloca comida na minha casa, e isso não é diferente. Nesse tempo que eu fiquei fora eu aprendi a amar mais o torcedor do Palmeiras, amar mais o Palmeiras, por tudo aquilo que eles fizeram e têm feito por mim, hoje (quinta-feira) foi incrível quando eu cheguei ao estádio e senti o carinho da torcida", comentou o volante. 

"Por isso eu dou carrinho, se tiver que dar carrinho de cabeça, vou dar carrinho de cabeça, por eles, pela minha família, então a minha ideia é continuar trabalhando muito forte para voltar a ser titular e escrever àquela história bonita que foi no primeiro semestre, na qual a gente estava numa crescente boa, inclusive na Libertadores", completou. 

O jogador destacou o fato de ter continuado no Palmeiras, embora tenha chegado a ser afastado pelo técnico Cuca. "Eu trabalho todos os dias como jogador do Palmeiras e eu dou sempre o meu melhor, como fiz em toda a minha carreira. Dou sempre o meu melhor, jogando ou não jogando. Então eu agradeço muito a Deus por ter continuado no Palmeiras e por ter mais uma oportunidade. Eu treino sempre como se fosse o último jogo para dar o meu melhor. Poderia entrar 20 minutos, fazer o meu melhor, que é correr, dar carrinho, dar de cabeça, infelizmente hoje não deu, paciência", lamentou. 

Felipe Melo tinha sido afastado por Cuca, por problemas de relacionamento, após o empate por 1 a 1 com o Cruzeiro, dia 27 de julho. Neste período, o volante chegou a treinar separado dos demais jogadores até que nas últimas semanas, ele foi reintegrado e voltou a ir para o banco de reservas justamente na partida desta quinta-feira. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.