Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Fernando Prass segue planos apesar de falhas no gol do Palmeiras

Goleiro de 38 anos pretende renovar o contrato que termina em dezembro

Gonçalo Junior e Nathalia Garcia, O Estado de S. Paulo

30 Maio 2017 | 07h00

Fernando Prass tem crédito com a exigente torcida do Palmeiras. A mesma torcida que tem na memória as excelentes partidas feitas por Jaílson, titular em boa parte da conquista do Campeonato Brasileiro do ano passado e que ainda não perdeu nenhum jogo defendendo a meta alviverde. Com três falhas nos três últimos jogos, o goleiro titular do clube usa a experiência para tentar não se abalar e segue fiel ao seus projetos: ainda sonha com a seleção brasileira e também em ter o contrato renovado.

Aos 38 anos, o ídolo tem contrato com o Palmeiras até 31 de dezembro e vive uma fase ruim. Por lei, o goleiro pode firmar um pré-contrato com qualquer outra equipe seis meses antes do fim do acordo. Isso significa que o prazo da preferência do Palmeiras está terminando. Para ajudar nas negociações, Prass fechou contrato com o empresário Giuseppe Dioguardi, velho conhecido dos palmeirenses, principalmente pelas negociações envolvendo o ex-atacante do clube, Kleber Gladiador, hoje no Coritiba.

Pepinho, apelido do empresário, confirma que a negociação ainda não começou, mas nega preocupação. Prefere não se estender no tema por não falado com a diretoria do clube. Prass não quer sair. Uma de suas metas é reconquistar um espaço na seleção brasileira, projeto que deve ser adiado por causa da má fase. Mas não desistiu de disputar a Copa do Mundo da Rússia, ano que vem. 

O Palmeiras iniciou a série de renovações deste meio de temporada com Edu Dracena. O zagueiro, que superou as metas estabelecidas no primeiro contrato firmado, assinou compromisso até o fim de 2018.

BATE-PAPO

Na segunda-feira, Fernando Prass teve conversa particular com o técnico Cuca, na reapresentação após a derrota para o São Paulo. Não foi um encontro secreto. Antes do início do treinamento, eles caminharam lado a lado, distante do restante do grupo. Após a conversa, foi a vez de todo o elenco ouvir o treinador por um longo tempo.

Capitão da equipe, Dudu saiu em defesa do goleiro. "Prass não precisa provar nada, uma semana atrás estava todo mundo pedindo ele na seleção". Mas os erros deixaram o próprio jogador preocupado. “Errei em dois lances completamente defensáveis. Se eu não reconhecer isso vou estar depondo contra mim mesmo. Duas bolas que eu poderia ter defendido", disse o goleiro após o jogo.

Desde 2013 no Palmeiras, o goleiro ajudou a levar a equipe de volta à primeira divisão e ganhou dois títulos nacionais. Em um deles, na final da Copa do Brasil, foi o grande nome. Como gosta de brincar, “roeu o osso” na Série B até aproveitar o “filé” com o Palmeiras, campeão brasileiro e time de maior investimento na temporada. 

Seguro e constante, viveu poucos momentos de instabilidade e sempre foi um dos líderes do elenco. É um dos garotos-propaganda que buscam sócios para o programa de fidelidade do clube. 

COPA DO BRASIL 

Prass terá a chance de se redimir na quarta-feira. Depois de vencer o jogo de ida por 1 a 0, o Palmeiras avança à próxima fase da Copa do Brasil se empatar com o Inter em Porto Alegre. Pode até perder por um gol de diferença desde que marque na casa do rival. O técnico Cuca terá de fazer mudanças. O zagueiro Juninho e o lateral Mayke, por exemplo, não podem jogar no torneio.

Mais conteúdo sobre:
Futebol Palmeiras Fernando Prass

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.