Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Esportes

Esportes » Fifa reitera confiança em tecnologia da linha do gol para evitar erros

Futebol

Esportes

Copa 2014

Fifa reitera confiança em tecnologia da linha do gol para evitar erros

Copa do Mundo 2014 será a primeira da história a utilizar recurso

0

Marcio Dolzan,
O Estado de S. Paulo

09 Junho 2014 | 13h09

A Copa do Mundo do Brasil será a primeira da história que utilizará a tecnologia para auxiliar os árbitros em lances duvidosos na linha do gol. Um sistema com sete câmeras voltadas para cada uma das metas e instaladas na cobertura dos 12 estádios irá informar ao árbitro em menos de um segundo se a bola cruzou a linha fatal ou não. 

O uso da tecnologia da linha do gol (TLG) passou a ser discutido na Copa da África do Sul, quando dois lances causaram polêmica. No mais grave deles, Frank Lampard marcou aquele que seria o gol de empate da Inglaterra contra a Alemanha, mas o árbitro uruguaio Jorge Larrionda não viu a bola cruzar a linha e mandou o jogo seguir. O outro lance aconteceu na partida entre Itália e Eslováquia. 

"O árbitro, na maioria das vezes, não vai ter o melhor ângulo para ver se a bola entrou ou não. O mesmo vale também para as câmeras de TV", disse Johannes Holzmüller, chefe do grupo do Programa de Qualidade da Fifa. "O olho humano consegue captar apenas 16 imagens por segundo, e de apenas um ângulo. Já essa tecnologia é capaz de captar 500 imagens por segundo e de diversos ângulos", explicou. 

As câmeras estão distribuídas em várias partes do estádio a partir do meio-campo, incluindo uma atrás do gol. Quando a bola cruza a linha, o árbitro recebe a confirmação no relógio - não é o mesmo que ele utiliza para cronometrar o jogo. As imagens captadas pelas câmeras são enviadas a um servidor próprio instalado no estádio, que automaticamente remete a informação para o relógio do árbitro.

O processo todo, de acordo com a GoalControl, empresa alemã responsável pelo sistema, leva menos de um segundo. "Esse sistema não pode ser manipulado, porque trabalhamos offline (sem conexão via internet). Apenas os árbitros recebem a informação", garantiu Dirk Broichhausen, CEO da empresa. Atualmente, a Fifa reconhece a tecnologia de três empresas no mundo para a aplicação do sistema.

Uma delas utiliza um sistema de campo magnético nos gols e um chip na bola. Os outros dois - incluindo o que será usado na Copa - é feito através de câmeras. Qualquer bola pode ser utilizada. No Mundial a margem de erro, garantem os técnicos da GoalControl, é de no máximo 1,5 cm.