1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Futebol Internacional

Filippo Inzaghi é apresentado como técnico do Milan

AE - Agência Estado

10 Julho 2014 | 17h 09

O ex-craque do time italiano declarou que esperava por esse cargo há dois anos, e que dará tudo de si para chegar ao topo

Treze anos atrás, Filippo Inzaghi chegava ao Milan para se tornar, com a camisa rubro-negra, então o maior artilheiro da história da Liga dos Campeões - perderia, depois, o posto para Raúl. Nesta quinta, aos 40 anos, o ex-atacante voltou a ser apresentado no clube. Agora, porém, ele é o treinador da equipe principal milanista para a temporada 2014.

"Entrei nessa profissão faz dois anos, esperando, do fundo do meu coração, um dia treinar o Milan. Talvez tenham esquecido que o Milan é o time mais vencedor do mundo e eu sou o treinador desse time. Darei tudo de mim e espero chegar no topo", disse o treinador, na sua apresentação.

Inzaghi concedeu entrevista na Casa Milan, novo centro de treinamento do clube de Milão, acompanhado de Barbara Berlusconi (filha do ex-primeiro ministro Silvio Berlusconi, presidente do clube) e do vice Adriano Galliani, que atualmente divide as funções de gestão do clube com a ex-namorada de Alexandre Pato.

De cara, teve que explicar como vai agir com Mario Balotelli, o aparentemente indomável atacante que saiu da Copa do Mundo como vilão da seleção italiana, criticado pela postura "lunática".

Luca Bruno/AP Photo
Inzaghi ao lado de Barbara Berlusconi e Adriano Galliani, gestores do clube

"Acredito que as críticas que recebeu na seleção devem servir apenas para deixá-lo mais forte. Espero que Mario seja muito útil. É meu dever valorizá-lo ao máximo. É um jogador que pode fazer a diferença. Eu já disse para ele: chegamos em oitavo (no último Italiano), então partimos todos do zero", explicou Inzaghi.

O novo treinador, que também era atacante, porém, avisou que não terá tolerância especial com Balotelli. Perdoarei sempre um erro técnico, mas não um erro de comportamento. Um jogador do Milan não pode cometer erros fora de campo. Um profissional deve ter uma vida atleta: somos bem remunerados e temos o melhor trabalho do mundo, essa para mim é uma regra vital", garantiu.

Inzaghi chega ao Milan para substituir um companheiro dos tempos de jogar. No meio da temporada passada, Seedorf abandonou os gramados (defendia o Botafogo) para assumir o comando técnico do clube, mas não conseguiu reverter a péssima temporada de um elenco ruim.

Futebol Internacional