Reuters-AFP
Reuters-AFP

Final da Liga dos Campeões consagra laterais brasileiros

Daniel Alves e Marcelo, titulares absolutos da seleção de Tite, têm se destacado na Juventus e no Real Madrid, que decidem o título dia 3 de junho

O Estado de S.Paulo

11 Maio 2017 | 07h00

Real Madrid e Juventus decidem no dia 3 de junho, em Cardiff, o título da Liga dos Campeões. A final colocará frente a frente dois brasileiros que foram bastante criticados em consequência do fracasso da seleção na Copa de 2014. Quase três anos depois, recuperaram-se totalmente. Os laterais Daniel Alves e Marcelo continuam titulares absolutos da seleção brasileira e hoje estão entre os melhores jogadores do mundo. 

Marcelo se habilitou para tentar seu terceiro título europeu, mesmo com a derrota do Real para o rival Atlético de Madrid por 2 a 1 – o time merengue havia vencido a partida de ida por 3 a 0. Daniel Alves, que buscará a quarta taça, garantiu de maneira mais tranquila sua passagem para a capital do País de Gales, pois sua Juventus bateu duas vezes o Monaco, por 2 a 0 e 2 a 1, esta última vitória obtida na terça-feira.

Nesta quarta-feira, Marcelo teve desempenho discreto no estádio Vicente Calderón. Apareceu mais no segundo tempo, quando o Real se soltou mais em busca do empate – o Atlético abriu 2 a 0 em 15 minutos, com gols de Saúl Ñiguez e Griezmann (pênalti), mas Isco descontou no final da etapa. Mas tem se destacado bastante nos últimos jogos do time madrilenho.

Em um time de estrelas como o Real, o lateral-esquerdo de 28 anos tem sido considerado um dos mais importantes jogadores na atual temporada, ao lado de Cristiano Ronaldo. “Ele está entre os três ou quatro melhores do planeta na posição. É um jogador completo e com personalidade positiva”, elogia o técnico Zidane.

Personalidade é de fato o forte de Marcelo. Nesta quarta-feira, por exemplo, após a classificação à final ter sido garantida, nem sequer considerou o sufoco que o Real passou na parte inicial do jogo. “Sofremos dois gols no início, mas no fim dominamos. Fomos superiores durante todo o tempo. Sabíamos que seria difícil, mas controlamos o jogo”, analisou o lateral, que tem duas Ligas no currículo, nas temporadas 2013/14 e 2015/16 – o Real Madrid, que busca o 12.º título europeu, é o atual campeão.

Aos 34 anos, Daniel Alves, que muitos já consideravam em declínio, tem feito desta sua primeira temporada na Juventus uma de suas melhores nos últimos anos. Recuperou a motivação e tem tido participação decisiva para o bom desempenho do time tanto no Campeonato Italiano (está com a mão em mais uma taça) quanto na Liga.

Na terça-feira, fez um golaço, com um chute de primeira de fora da área, na vitória por 2 a 1 sobre o Monaco. Foi seu terceiro em 11 jogos nesta Liga. O gol e a ótima atuação levaram a imprensa italiana a defini-lo como “mágico”. O diário italiano Gazzetta dello Sport escreveu que seus “truques” em campo lembram David Copperfield. E na Espanha, onde muitos catalães ainda não engoliram sua saída do Barcelona após oito temporadas, o Sport, de Barcelona, sugeriu que Dani Alves seja contemplado com a Bola de Ouro.

O lateral, campeão da Liga três vezes pelo Barça (2008/09, 2010/11 e 2014/15), comemora. “Foi especial (o gol) e estou contente por ajudar a equipe a desfrutar deste momento especial que é disputar uma final”, disse. “É um momento doce, importante, mas mais doce é conquistar o título.”

OUTROS BRASILEIROS

Além de Marcelo e Daniel Alves, os finalistas da Liga têm dois outros laterais brasileiros: Danilo, do Real Madrid, e Alec Sandro, da Juventus. E os espanhóis ainda têm o volante Casemiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.