Fla decide futuro na Libertadores

O Flamengo decide nesta quarta-feira seu futuro na Copa Libertadores da América, contra o Universidad Católica, do Chile, às 21h40, em Santiago. A equipe carioca precisa vencer o confronto, já que um empate será o suficiente para eliminá-la da competição. A má fase do Flamengo não assusta o técnico João Carlos, que tenta orientar seus jogadores para a importância da partida. Segundo o treinador, todos estão tranqüilos, porque o time tem feito boas atuações, apesar das derrotas. Mesmo com os problemas táticos, João Carlos teve como boa notícia a confirmação dos retornos do lateral-esquerdo Athirson, que se recuperou de uma contusão muscular na coxa direita, e do zagueiro Fernando, anteriormente suspenso. Os meias Beto, não inscrito na Libertadores, e Leonardo, contundido, desfalcam a equipe. João Carlos afirmou que a formação tática com três zagueiros continuará sendo usada. De acordo com o treinador, a armação tem deixado o Flamengo mais fortalecido. Ele considerou, ainda, que a volta de Fernando beneficia o desempenho de seus companheiros de zaga: Juan e Maurinho. O meia Juninho lembrou a necessidade de todos se esforçarem para alcançarem o objetivo. O jogador disse acreditar que o Flamengo vai ter um bom desempenho e frisou a importância da partida. "É uma decisão e não podemos perder", enfatizou o atleta. A exemplo do que acontece nas competições do futebol brasileiro, o Flamengo tem mantido o mal retrospecto também na Libertadores de 2002. Afinal, em quatro jogos, a equipe carioca conquistou o mesmo número de pontos, ocupando a terceira colocação na tabela de classificação do Grupo 8.

Agencia Estado,

12 Março 2002 | 18h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.