Matilde Campodonico/AP
Matilde Campodonico/AP

Fluminense perde do Liverpool-URU, mas avança à segunda fase da Sul-Americana

Tricolor elimina uruguaios mesmo após derrota por 1 a 0

Itamar Cardin, especial para a AE, Estadão Conteúdo

10 Maio 2017 | 23h50

Aparentemente anestesiado depois da perda do título do Campeonato Carioca, no domingo, o Fluminense fez nesta quarta-feira um de seus piores 45 minutos da temporada. Mas, após a apatia generalizada no primeiro tempo, a equipe reagiu na etapa final, controlou o duelo e avançou à segunda fase da Copa Sul-Americana ao perder para o Liverpool-URU por 1 a 0, no estádio Centenário, em Montevidéu. Como vencera a ida por 2 a 0, o time carioca passa com o placar agregado de 2 a 1.

Classificado, o Fluminense aguarda o sorteio que definirá os duelos da segunda fase da Sul-Americana, anterior às oitavas de final. E, neste domingo, por sua vez, a equipe recebe o Santos no Maracanã, na estreia do Campeonato Brasileiro.

Depois da frustrante derrota para o Flamengo no domingo, por 2 a 1, na decisão do Campeonato Carioca, o técnico Abel Braga pouco teve tempo para trabalhar e recuperar seus jogadores - o elenco só treinou na segunda e já embarcou para Montevidéu na terça.

E, novamente sem contar com Douglas e Gustavo Scarpa, ainda se recuperando de lesões, a equipe carioca pareceu ter sentido a derrota no Estadual. Assustado, com problemas para sair jogando e visivelmente nervoso em campo, o Fluminense cometia erros sucessivos desde o primeiro minuto.

O Liverpool, então, aproveitou-se. Mesmo com inúmeros desfalques, como o meia-atacante Nicolás de la Cruz, o lateral Santiago Veiga, o meio-campista Gonzalo Freitas e o atacante Cristian Latorre, o time uruguaio chegava seguidamente ao gol de Diego Cavalieri.

Pior: chegava sem qualquer esforço. Com uma desastrada atuação de seu sistema defensivo, especialmente de Renato Chaves e Henrique, que falhavam tanto na saída de bola quanto na marcação, o Fluminense assistia assombrado a um bombardeio.

O Liverpool, assim, chegava pela direita, invertia para a esquerda, desarmava na saída de bola e assustava em cruzamentos e cobranças de falta. E, já aos 12 minutos, após um rápido contra-ataque, Royón avançou sozinho e cruzou para Juan Ramírez, livre, apenas escorar para o gol.

O nervosismo do Fluminense ficou claro no minuto seguinte, quando Wendel e Sornoza discutiram com adversários. Foi a única reação visível do time de Abel Braga. Sem correr qualquer risco, o time uruguaio manteve a pressão e contou com novos vacilos da zaga carioca para criar outras chances - foram dez finalizações no primeiro tempo, contra apenas duas dos brasileiros.

Em uma delas, resumindo o descontrole do Fluminense, a bola permaneceu viva na área por um bom tempo até que, finalmente, a zaga conseguisse afastar. Ramírez também quase marcou o segundo, ao cabecear no canto, mas Cavalieri salvou.

O Fluminense, apesar da fraca atuação, foi para o intervalo com um resultado que ainda o favorecia. E, contudo, no segundo tempo, inicialmente nada mudou: logo aos dois minutos, Ramírez avançou pela esquerda e saiu na cara do gol, mas Cavalieri defendeu mais uma vez.

Era o lance que poderia ter mudado o jogo. O que de fato ocorreu: após a importante defesa, enfim, o Fluminense despertou, saiu do campo de defesa e igualou o jogo. Richarlison recebeu dentro da área e quase empatou aos nove - o chute parou no travessão. Wellington também teve grande chance pouco depois, mas errou na finalização.

Desperto, tocando a bola no meio e administrando o resultado com consciência, o Fluminense mudou o panorama do duelo e jogou o desespero para o lado uruguaio. Lucas e Henrique Dourado ainda desperdiçaram boas oportunidades. Pouco importava. Depois de vencer o primeiro jogo por 2 a 0, o time carioca segurou a derrota por 1 a 0 e avançou à segunda fase da Sul-Americana.

FICHA TÉCNICA

LIVERPOOL-URU 1 x 0 FLUMINENSE

LIVERPOOL-URU - Guillermo de Amores; Andrés Rodales, Federico Platero, Facundo Mallo e Christian Almeida; Matías Toma (Gustavo Viera), Maximiliano Cantera (Pablo García), Gustavo Aprile e Federico Martínez (Cristian Antúnez); Nicolás Royón e Juan Ramírez. Técnico: Alejandro Bertoldi.

FLUMINENSE - Diego Cavalieri; Lucas, Renato Chaves, Henrique e Léo; Orejuela, Wendel e Sornoza; Richarlison (Marquinho), Henrique Dourado (Pedro) e Wellington Silva (Marcos Júnior). Técnico: Abel Braga.

GOL - Juan Ramírez, aos 12 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO - Juan Soto (Venezuela).

CARTÕES AMARELOS - Cantera, Toma e Rodales (Liverpool-URU); Sornoza, Henrique Dourado e Cavallieri (Fluminense).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Centenário, em Montevidéu.

Mais conteúdo sobre:
futebol Fluminense Copa Sul-americana

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.