1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Gabriel pede renovação de contrato e salário mais alto ao Santos

SANCHES FILHO - O Estado de S. Paulo

25 Agosto 2014 | 19h 38

O atual vínculo termina em setembro de 2015, mas a intenção é prorrogar por mais cinco anos, com bases salariais mais elevadas

O Santos já tem em mãos o pedido de Gabriel para rescindir o contrato atual que termina em setembro de 2015 e assinar um novo, com cinco anos de duração, com bases salariais bem mais elevadas. Quem viu a proposta afirma que os números são bem salgados. E não é para menos porque antes de atingir a maioridade, no próximo sábado, o garoto já vem sendo mais decisivo do que companheiros que ganham entre R$ 300 mil e R$ 500 mil mensais.

Os dirigentes sabem que só com um contrato longo e com multa alta o clube, que detém 60% dos direitos econômicos (os 40% restantes são da família), vai deixar de correr o risco de perder o mais especial dos jogadores da safra seguinte à de Neymar e Paulo Henrique Ganso. Como também estão preparados para uma longa batalha com os pais do atacante e com o empresário Wagner Ribeiro, que gerencia a carreira do jovem jogador.

Numa demonstração de reconhecimento da evolução de Gabriel, ao completar um ano da estreia no profissional, o Santos dobrou o salário dele, passando de R$ 30 mil para R$ 60 mil, pouco antes da Copa do Mundo.

Rafael Arbex/Estadão
Gabriel mandou torcida do São Paulo calar a boca e tirou a camisa após fazer gol

Domingo, no clássico diante do São Paulo, Gabriel não se intimidou diante de jogadores com passagens pela seleção brasileira e com rodagem internacional e mostrou a frieza dos grandes artilheiros ao cobrar e converter o pênalti contra Rogério Ceni, além de ter reagido como jogador experiente ao levar uma bronca do goleiro, que tem, mais de o dobro da idade dele, depois de fingir que havia recebido uma cotovelada para induzir o juiz à marcação de pênalti.

Após o jogo, Gabriel trocou a camisa com Ceni, foi respeitoso e disse entrevero com o goleiro foi coisa normal de jogo. "Acabou ali". Mas, para consolo dos santistas, não deixou de tirar uma casquinha. "Para mim foi um orgulho ter feito gol no Rogério Ceni".

Para Oswaldo de Oliveira, Gabriel tem um futuro promissor pela frente e com qualidade para se tornar completo, com capacidade para atuar como articulador, mais atrás, e nas três posições de ataque. Quando ele assumiu o time, Gabriel era atacante pela lado direito e logo nos primeiros treinos foi improvisado como falso centroavante, posição em que encaixou perfeitamente e começou a mostrar facilidade para finalizar e fazer gol.