Arquivo/Estadão
Arquivo/Estadão

Garrincha faz o Brasil não sentir falta do Rei na Copa de 1962

Atacante é o grande nome da seleção brasileira no bicampeonato mundial

O Estado de S.Paulo

11 Maio 2018 | 03h00

Dribles desconcertantes, daqueles de deixar o marcador sem ação. Cruzamentos e passes perfeitos, escanteios venenosos. Até faltas ele cobrou com maestria. Fez gol de cabeça. Garrincha foi o grande nome da Copa do Mundo de 1962.

Confira a página especial sobre a Copa do Mundo de 2018

INFOGRÁFICO - Brasil, a camisa mais pesada do futebol mundial

ESPECIAL - 15 anos do Penta, nossa última conquista

Com Pelé fora de combate, coube a ele "ganhar'' a Copa para o Brasil. Na época, Garrincha vivia grande fase no Botafogo e já chegou ao Chie como grande nome da seleção, justamente ao lado de Pelé.

O talento e a irreverência foram fundamentais para que Garrincha arrebentasse na Copa. Mas uma mudança de posicionamento ocorrida a partir da saída do camisa 10 também colaborou. Antes mais restrito ao lado direito do ataque, ele ganhou mais liberdade em campo.Pode "flutuar'' pelo meio, confundindo, jogo após jogo, os marcadores rivais. Assim, tomou para sí um Mundial em que, apesar do talento, inicialmente era para ele ser apenas um bom coadjuvante.

CAMPANHA DO BRASIL

Brasil 2 x 0 México

Brasil 0 x 0 Checoslováquia

Brasil 2 x 1 Espanha

Brasil 3 x 1 Inglaterra

Brasil 4 x 2 Chile

Brasil 3 x 1 Checoslováquia

Jogos: 6

Vitórias: 5

Empates: 1

Derrotas: 0

Gols pró: 14

Gols contra: 5

Artilheiros: Garrincha e Vavá (4 gols)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.