1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Gianni Infantino sai na frente na eleição presidencial da Fifa

- Atualizado: 26 Fevereiro 2016 | 12h 22

Candidato europeu recebe 88 votos na primeira rodada

O candidato europeu Gianni Infantino sai na frente na primeira rodada de votações para escolher o novo presidente da Fifa, com 88 votos. Mas suíço ainda não conseguiu apoio suficiente para vencer na primeira rodada e o processo que começou com cinco candidatos vai para um segundo turno.

O segundo colocado foi o xeque Salman Al Khallifa, com 85 votos, seguido por Ali bin Hussein, 27. Já o Jérôme Champagne teve sete votos. Tokyo Sexwale, candidato sul-africano, retirou sua candidatura, depois de 15 minutos de apresentação de seu próprio programa de governo. 

Após desistência de Sexwale, quatro candidatos concorrem à presidência da Fifa
Após desistência de Sexwale, quatro candidatos concorrem à presidência da Fifa

A Conmebol havia anunciado que votaria em bloco na primeira fase por Infantino. Mas, ao Estado, membros do alto escalão da CBF indicaram na manhã desta sexta-feira que essa recomendação valeria apenas para a primeira fase. "Na segunda fase, é cada um por si", afirmou. 

Em seus últimos discursos diante dos delegados, candidatos apresentaram listas de promessas e garantiram que atenderiam cada um dos interesses das diferentes regiões. Infantino, por exemplo, prometeu medidas para manter jogadores na América do Sul e a construção de campos pela África.

Ele foi o único a arrancar aplausos, justamente quando falou de dinheiro. "Vamos distribuir o dinheiro da Fifa. Esse dinheiro é de vocês", declarou. Ele quer dar US$ 5 milhões para cada federação nacional. 

Já Ali garantiu maior transparência, enquanto Salman sugeriu atender os interesses dos pequenos países. Uma nova rodada de votações vai começar, apenas com três candidatos.

 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EsportesX