Globo atrasa pagamento à Liga Rio-SP

Parecia que a difícil situação econômica do futebol brasileiro não tinha como piorar, mas os dirigentes constataram que até mesmo a principal fonte de renda dos clubes está comprometida: o dinheiro referente aos direitos de televisão. Como se não bastasse a considerável redução nos valores negociados - cerca de 40% -, a TV Globo, que detém os direitos de transmissão do Torneio Rio-São Paulo, atrasou o pagamento à Liga - que organiza a competição e distribui os prêmios - em cinco dias. Deveria depositar o dinheiro até 10 de fevereiro, mas só o fez no dia 15. Dirigentes da Liga revelaram para a Agência Estado que a demora da Globo para efetuar o pagamento é fato inédito no futebol. A empresa de telecomunicações nunca havia atrasado para cumprir seus compromissos. Eles preferiram, no entanto, manter sigilo para não criar nenhum tipo de mal-estar. Segundo contrato assinado no início do ano, a emissora tem de pagar R$ 65 milhões à Liga. Corinthians, Palmeiras, São Paulo, Flamengo e Vasco são os que mais recebem, R$ 5 milhões. Em 2001, os paulistas considerados grandes recebiam cerca de R$ 7 milhões da tevê pelo Campeonato Paulista. "Estamos ganhando menos e as despesas no Rio-São Paulo são maiores que as do Paulista", lamentou Mustafá Contursi, presidente do Palmeiras. Outro agravante: os clubes ainda não viram a cor do dinheiro pelas transmissões das partidas da Copa do Brasil. Muitos dirigentes reclamaram e a emissora alegou que estava renegociando o contrato com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Quer pagar aproximadamente 40% menos que nas últimas edições da competição nacional. Cada agremiação recebe por fase na Copa do Brasil. Alguns clubes, como Corinthians e São Paulo, já estão na terceira etapa, tiveram seus jogos televisionados e ainda não receberam nada. Já virou rotina, nos últimos dias, a presença de cartolas de Minas Gerais e do Paraná na sede da CBF para protestar. Enquanto não fechar um novo acordo, a Globo não deve arcar com os custos. A emissora enviou, durante a semana, uma notificação aos clubes do Rio anunciando a rescisão de contrato para a transmissão do Campeonato Carioca. Irritados com o rompimento, os clubes ameaçam acionar a Justiça. "Estamos estudando uma medida jurídica contra a TV Globo", declarou David Fischel, presidente do Fluminense. "O contrato valia até 2004." Hoje, em comunicado oficial, a Globo anunciou também o fim do contrato com a Federação Paulista de Futebol (FPF) para o televisionamento do Campeonato Paulista. Houve acordo entre as partes. No caso do Rio, a situação foi diferente. "Como a Federação Carioca não quis rescindir o contrato do Campeonato Carioca, a TV Globo e a Globosat, com fundamento nas cláusulas destes contratos, exercem seus legítimos direitos de rescindir esses instrumentos por impossibilidade de cumprimento do que foi firmado", informou o documento. O Carioca deste ano é um fracasso total. Os clubes grandes só utilizam a equipe B, porque a principal está empenhada no Rio-São Paulo. A média de público é insignificante: 150 pessoas por jogo. Na partida entre Olaria e Friburguense, por exemplo, há uma semana, a Federação Carioca se esqueceu de mandar a carga de ingressos. Os cerca de 150 torcedores que foram ao estádio não puderam entrar. A crise no futebol está afetando diretamente a Globo, que vai ter exclusividade na transmissão da Copa. A emissora tentou, de todas as maneiras, dividir os direitos com outras empresas, mas não conseguiu. Ela pagou US$ 220 milhões pelos direitos. A Record, que também tinha interesse em mostrar os jogos do Mundial, desistiu da idéia. "Há três meses da Copa é impossível vender as cotas de publicidade", comentou J. Hawilla, presidente da Traffic, empresa de marketing que assinou parceria com a Record para a transmissão de eventos esportivos. A Globo teme sofrer grande prejuízo. Não vai conseguir arrecadar nem 40% dos valores de publicidade em relação ao Mundial da França. A Agência Estado entrou em contato com a Assessoria de Imprensa da emissora para ouvir explicações sobre o atraso no pagamento pelos direitos de transmissão do Rio-São Paulo e da Copa do Brasil, mas não obteve nenhuma resposta.

Agencia Estado,

01 Março 2002 | 23h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.