Nelson Perez/Fluminense FC
Nelson Perez/Fluminense FC

Golaço pelo Fluminense repercute na Fifa e Scarpa sonha com Prêmio Puskás

Meia revela estar com os pés no chão, mas admite ansiedade e alegria pelo gol

Estadão Conteudo

16 Fevereiro 2017 | 20h06

O Fluminense chamou a atenção, e a Fifa voltou seus olhos para o gol antológico marcado por Gustavo Scarpa na última quarta-feira. O chute de trás do meio de campo, que percorreu quase 60 metros antes de encobrir o goleiro do Globo-RN na goleada tricolor pela Copa do Brasil, foi comentado nas redes sociais pela entidade e deixou o meia esperançoso para entrar na disputa do Prêmio Puskás.

"Eu não vou me autopromover, vou deixar para a galera. Tem bastante tempo até a indicação, mas eu estou tranquilo, muito contente com o gol que eu fiz", declarou nesta quinta-feira no desembarque do Fluminense no Rio, após a classificação à próxima fase da Copa do Brasil.

O sonho de Scarpa foi alimentado pela página do Fluminense no Twitter, que alertou a Fifa para o golaço. "Olá, Fifa! Precisamos falar sobre o Prêmio Puskas!", escreveu o clube carioca em inglês no microblog, em postagem com o vídeo do gol do meia.

A estratégia deu certo, e não demorou para que a página da entidade respondesse ao clube. "Impressionante, Fluminense! Ainda resta alguns meses para o prazo final, então vamos ver se (o gol) entra na lista dos dez melhores."

Scarpa tenta manter os pés no chão, mas o momento especial deixa o jogador ansioso pela possibilidade de concorrer ao prêmio. "Querendo ou não, fico ansioso. É um momento marcante para mim. Estou feliz. Espero, sim, ser indicado ao prêmio. É uma conquista fazer um gol de trás do meio campo."

O meia admitiu o sonho de faturar o prêmio dado ao gol mais bonito do ano, mas não escondeu que seria uma conquista particular estar na festa de premiação em 2018 para conhecer alguns dos principais jogadores do mundo, como Lionel Messi e Cristiano Ronaldo.

"A gente acaba pensando. É um sonho encontrar esses jogadores, mas se for para acontecer, vai acontecer. Estou bem tranquilo agora, mas eu espero que aconteça", comentou. "Para mim, a noite foi inesquecível. A chuteira, sem dúvida, ficará guardada."

Mais conteúdo sobre:
Fluminense futebol Fluminense

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.