1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Copa 2014

Goleada histórica cria brigas e confusão no Estádio do Mineirão

Vítor Marques - enviado especial a Belo Horizonte - O Estado de S. Paulo

08 Julho 2014 | 22h 13

Muitos torcedores não registraram boletim de ocorrência, e a PM e o Choque reforçaram o policiamento no fim da partida

Desiludida, parte da torcida que foi ao Mineirão deixou o estádio antes mesmo de o jogo terminar. Decepção, humilhação, vergonha. Não havia outro sentimento entre a maioria dos brasileiros. Sobraram críticas para o técnico Felipão e para o atacante Fred. Ninguém mais usava a máscara do Neymar, febre antes da partida. E mesmo após a goleada, houve quem fizesse um apelo aos alemães: que vençam a Argentina, caso as duas seleções façam a final de domingo no Maracanã.

Mas nem tudo terminou bem. Houve focos de confusão e brigas na arquibancada, entre brasileiros e alemães. Uma outra confusão envolveu até o humorista Marcelo Adnet, que foi agredido mas acabou não registrando boletim de ocorrência. A delegacia que funciona dentro do estádio registrou 15 ocorrências entre furtos, brigas e até estelionato. Mas muitos brigões não registram ocorrência, apesar de saírem do estádio machucados, segundo a PM. Antes mesmo de a partida terminar, a Polícia Militar e a Tropa de Choque reforçaram o policiamento na saída do estádio, numa cena comum nos clássicos entre clubes de torcidas rivais do futebol brasileiro. Mas os problemas ocorreram dentro do estádio. A saída foi triste, mas tranquila.

"O time sentiu o primeiro gol, não reagiu, os jogadores foram ''moleques''. A ausência do Neymar não justifica o placar", disse o carioca Rafael Farias, que foi ao jogo com a namorada Yasmin Mello e deixou o estádio ainda com o segundo tempo em andamento. Eles voltariam ao Rio de Janeiro em voo na noite desta terça. Com a derrota do Brasil, o casal disse que vai vender os dois ingressos que têm da final de domingo. "Moramos perto do Maracanã e vamos vender as entradas para equilibrar os gastos." Antes da eliminação do Brasil, Farias acreditava que conseguiria vender os dois ingressos da final por R$ 15 mil. Agora, segundo ele, o valor será menor.

DENNIS SABANGAN/EFE/EPA
Os alemães agradecem o apoio da torcida

"Esse placar não existe, fui ao banheiro quando o jogo estava 2 a zero, voltei e estava 4 a 0", disse Flavio Moreira, carioca, que sentiu vontade de "matar" alguém após os 7 a 1. Já Robson Isidio da Silva, que vive em Belo Horizonte, disse que só não foi embora antes de o jogo terminar porque ele veio ao Mineirão com um grupo de amigos. E era preciso que todos se encontrassem na porta do estádio. "Foi uma decepção", afirmou.

LÁGRIMAS

Entre lágrimas e choro, havia também quem encarasse o resultado com humor. Um grupo de amigos se divertia com um cone que estava no meio da rua. Estavam "tirando selfies" com Fred. Outro torcedor saiu do estádio dizendo que ao menos o Brasil havia perdido para o "Flamengo" por causa do uniforme rubro-negro da Alemanha.

O alemão Stefan Sinn deixou o Mineirão e recebeu os parabéns de alguns brasileiros. "Ganhem da Argentina, por favor", disse uma brasileira. "Espero que sim", rebateu Sinn, que assistiu a todos os jogos da Alemanha na Copa do Mundo. "Fomos demolidores, parecia um time da primeira divisão contra um da segunda divisão. Não imaginava esse placar."

Copa 2014