Grêmio terá força máxima para garantir liderança do Grupo 8

Tricolor recebe o Zamora, da Venezuela, na Arena Grêmio

Estadao Conteudo

25 Maio 2017 | 07h06

Em teoria, o Grêmio não tem um duelo muito complicado nesta quinta-feira contra o Zamora, da Venezuela, às 21h45, na Arena Grêmio, em Porto Alegre, pela sexta e última rodada do Grupo 8 da Copa Libertadores. O adversário, afinal, em cinco partidas, não somou um único ponto sequer.

Mas, diante da importância do duelo, o Grêmio deve ser precavido e entrar com força máxima, deixando em segundo plano a partida contra o Sport, neste domingo, fora de casa, pelo Campeonato Brasileiro.

O jogo desta quinta-feira é fundamental porque vale a liderança da chave: a equipe gaúcha soma 10 pontos e está empatada com o Guaraní (Paraguai), que também nesta quinta recebe o Deportes Iquique (Chile), terceiro da chave com nove. Como tem melhor saldo, uma vitória simples deve garantir a primeira posição ao Grêmio.

Da escalação que derrotou o Atlético Paranaense no último domingo, fora de casa, pelo Brasileirão, o técnico Renato Gaúcho não contará apenas com Ramiro, expulso no último duelo da Libertadores. Arthur, resfriado, até perdeu o treino desta quarta-feira, mas deve ser titular.

A única mudança, assim, deve ser a entrada de Gastón Fernández no lugar de Ramiro. Contratado para substituir Douglas, que rompeu os ligamentos do joelho e só retorna no segundo semestre, o meia argentino ainda não engrenou. Terá, assim, a sua grande chance nesta quinta-feira.

"Já passei pela adaptação, estou instalado 100% aqui. A única situação que está acontecendo agora é que a equipe está jogando em um nível altíssimo. Acho que em todas as linhas, mas principalmente na frente. É difícil conseguir um lugar em uma equipe que está jogando tão bem, sobretudo nas últimas partidas. Mas tenho a inquietude de jogar mais", destacou o meia argentino.

Terceiro colocado do Campeonato Venezuelano e sem nada a almejar na Libertadores, por sua vez, o Zamora joga para somar o seu primeiro ponto e apagar minimamente a frustração de sua fraca campanha. "Nós jogamos pelo orgulho, independentemente de que já não possamos alcançar nada. Sabemos que devemos fazer uma boa partida e levar um bom resultado diante do Grêmio", comentou o defensor panamenho Luis Ovalle.

Mais conteúdo sobre:
futebol Libertadores Grêmio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.