1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Grêmio pega San Lorenzo em busca de regularidade

- Atualizado: 15 Março 2016 | 11h 05

Ainda sem embalar nesta temporada, o Grêmio terá uma dura missão nesta terça-feira pela Copa Libertadores. A equipe gaúcha entra em campo às 21h45 para encarar o San Lorenzo no Nuevo Gasómetro, em Buenos Aires. E mesmo fora de casa, os comandados de Roger Machado não podem nem pensar em derrota se quiserem ficar perto da vaga para a próxima fase.

O Grêmio ocupa a segunda colocação do Grupo 6, com quatro pontos em três partidas, e reencontrará o adversário que lhe tirou pontos em Porto Alegre na semana passada. Em plena Arena Grêmio, o time gaúcho foi surpreendido pela forte marcação do San Lorenzo, chegou a ser pressionado em algumas oportunidades e saiu de campo com o empate por 1 a 1.

Foi mais um tropeço gremista em meio a um começo de temporada repleto deles. Entre Campeonato Gaúcho, Libertadores e Copa Sul-Minas-Rio, são oito vitórias, três empates e três derrotas até o momento. Se levar em conta somente o torneio continental, a campanha é ainda mais irregular, com uma vitória, um empate e uma derrota.

Para esta terça, o técnico Roger tem somente uma dúvida na escalação: o meia Giuliano, que não treinou no fim de semana por conta de problemas musculares mas viajou com o elenco para a Argentina. A definição deve acontecer momentos antes da partida, mas a tendência é que ele jogue.

Roger Machado já não poderá contar com o lateral-direito Wallace Oliveira, com problema muscular na coxa direita, e o volante Walace, que segue se recuperando de lesão no joelho. Wesley e Edinho, respectivamente, deverão ocupar as vagas. O outro desfalque é o atacante Miller Bolaños, que se recupera de uma fratura na mandíbula sofrida no Gre-Nal. Everton deve seguir em seu lugar.

Pelo lado do San Lorenzo, a vitória é fundamental para o time seguir vivo na Libertadores. Com somente dois pontos até o momento, a equipe argentina conta com as duas partidas restantes em casa para dar a volta por cima e buscar a vaga. O problema é seu setor defensivo, uma vez que já sofreu 19 gols em 14 partidas disputadas em 2016.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EsportesX