Gilvan de Souza / Flamengo
Gilvan de Souza / Flamengo

Guerrero comemora retorno aos gramados após seis meses: 'Foi um dia incrível'

Decisão de tribunal sobre aumento da pena ou não deve sair ainda nesta semana

Estadão Conteúdo

07 Maio 2018 | 10h10

O centroavante Guerrero comemorou seu retorno aos gramados após seis meses e meio de afastamento por ter sido flagrado no doping. O jogador entrou no segundo tempo da vitória do Flamengo por 2 a 0 sobre o Internacional, no Maracanã, em duelo válido pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro.

+ Início do Campeonato Brasileiro tem ares de torneio Rio-São Paulo

+ Guerrero se diz otimista após audiência na CAS e 'pronto' para jogar

"Estou muito feliz. É muito emocionante voltar no Maracanã lotado, na nossa casa, com a nação cantando meu nome. Foi impressionante, incrível. Não tenho palavras para descrever este momento. Mereço isso tudo depois do que passei nesses seis meses. Quero jogar, pois futebol é a minha vida. Foi um dia incrível para mim", afirmou.

Cerca de 60 mil torcedores rubro-negros estiveram presentes na partida e comemoraram como se fosse gol a entrada de Guerrero aos 12 minutos do segundo tempo na vaga de Henrique Dourado. "Acabou o caô, o Guerrero chegou", cantaram.

Guerrero teve tempo de contribuir diretamente com a vitória ao dar assistência para o segundo gol, marcado por Everton Ribeiro. O atacante peruano voltou aos gramados depois de uma semana cansativa. Guerrero viajou à Lausanne, na Suíça, na última quarta-feira, para prestar depoimento na Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês). Conseguiu treinar apenas no sábado.

"Tive que antecipar o meu voo para estar aqui no Rio a tempo de treinar. Cheguei bem, descansado, tranquilo e confiante. Sei que vai dar tudo certo, pois sou inocente. Estou me preparando aqui, quero dar minha melhor condição para o Flamengo. Quero estar 100%. Consegui jogar hoje 30, 35 minutos. Foi incrível e mais ainda por termos conquistado os três pontos", disse.

O resultado do julgamento deverá ser anunciado ainda nesta semana. O Tribunal avalia a apelação apresentada pela Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) contra a decisão que reduziu a suspensão inicial do atacante pela metade. A entidade internacional quer que o jogador seja sancionado com pelo menos um ano de pena, já levando em conta os seis meses que ele acabou de terminar de cumprir.

Guerrero acredita que escapará de uma nova punição e ficará livre para defender o Peru na Copa do Mundo de 2018, na Rússia, assim como o Flamengo nas partidas que o time fará até o Mundial, que começa em 14 de junho.

"Primeiro estou aguardando a decisão, que será importante para mim. Depois, minha expectativa é ganhar no Flamengo nos jogos que estiver aqui, participar da Copa do Mundo, que será importante para o meu país, e então voltar e ganhar essa Libertadores, que é esperada por todo rubro-negro. Tenho muitos objetivos traçados esse ano e espero conseguir todos", prosseguiu Guerrero.

Após testar positivo em exame para o uso da substância benzoilecgonina, um metabólito da coca ou da cocaína, no dia 5 de outubro do ano passado, o atleta do Flamengo foi punido inicialmente com uma suspensão de um ano, mas conseguiu reduzir a pena para seis meses, em dezembro, após entrar com um recurso junto à Comissão de Apelação da Fifa. E esta sanção expirou justamente nesta quinta-feira.

"O lado psicológico me afetou muito, moralmente foi bem complicado. Estar afastado por uma injustiça foi muito triste, o pior momento da minha vida. Tento pensar sempre na frente, sempre sendo objetivo", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.