Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Esportes

Esportes » Com reservas, Corinthians sofre para bater o Capivariano

Futebol

NILTON FUKUDA/ESTADÃO

Com reservas, Corinthians sofre para bater o Capivariano

Arena tem pior público desde sua inauguração: 23.143 pagantes

0

Raphael Ramos,
O Estado de S.Paulo

11 Fevereiro 2016 | 23h12

No jogo com menor público do Itaquerão desde a abertura do estádio em 2014, o Corinthians sofreu para vencer o Capivariano por 2 a 1, nesta quinta-feira. Diante de 23.143 pagantes e com um time misto, o alvinegro conquistou a terceira vitória seguida no Campeonato Paulista.

Além do recorde negativo de público, a partida foi marcada por um conflito entre integrantes da torcida uniformizada Gaviões da Fiel e a Polícia Militar durante o intervalo. A organizada exibiu faixas contra a Rede Globo e pedindo a prestação de contas do Itaquerão. Quando a PM tentou retirar as faixas houve confusão e agressão.

Em campo, o Corinthians começou o jogo em alta velocidade. Mesmo sem seis titulares (poupados para o clássico de domingo com o São Paulo), a equipe iniciou a partida muito bem e logo aos dois minutos abriu o placar com Romero. Bem posicionado, o paraguaio desviou o chute de Edílson pela direita.

Os primeiros 15 minutos foram de amplo domínio do Corinthians, que chegou a criar mais duas chances de ampliar a vantagem, mas falhou nas finalizações. Depois o Capivariano melhorou e equilibrou o jogo.

Aos 22, inclusive, o time do interior foi prejudicado pela arbitragem. Willians acertou Marlon dentro da área, mas o juiz marcou falta fora da área. Sete minutos depois saiu o empate do Capivariano. Após cobrança de escanteio pela direita, Marlon desviou de cabeça, sem chances para Cássio.

O segundo tempo foi muito parecido com o primeiro. O Corinthians começou muito bem e fez o segundo gol com apenas um minuto. Guilherme pegou o rebote pela esquerda e bateu de primeira. A bola desviou em Jácio e ainda tocou na trave antes de entrar. Foi o primeiro gol dele pelo alvinegro.

Mas o sossego do Corinthians durou pouco. Aos oito minutos, Edílson foi expulso após xingar o juiz Marcelo Aparecido de Souza.

Com um a menos, o Corinthians passou a jogar de forma desorganizada. A marcação, sobretudo, no meio de campo, ficou aberta demais, abrindo espaços para o Capivariano atacar com extrema facilidade.

Aos 18, o time do interior reclamou de mais um pênalti. Marlon cruzou da esquerda, e bola atravessou a área. Marlone empurrou Chico, mas o árbitro não marcou nada. O Corinthians sentiu demais a falta de entrosamento dos seus jogadores. Faltava criatividade para armar as jogadas no meio campo. Parecia haver um vazio no setor. A bola era rifada da defesa direto para o ataque.

O time só melhorou um pouco depois que Giovanni Augusto passou a arriscar algumas jogadas individuais. O jogador contratado do

Atlético-MG fez ontem a sua estreia pelo Corinthians e quase fez um gol - acabou parando em grande defesa do goleiro Pedro Henrique.

Assim como no primeiro tempo, o Capivariano pressionou o Corinthians e fez a defesa do alvinegro passar por apuros. O time chegou a fazer o segundo gol, mas o juiz marcou impedimento. Domingo, Tite voltará a escalar os titulares no clássico diante do São Paulo, novamente no Itaquerão, e a expectativa é que o time jogue bem para não voltar a passar a sufoco diante da sua torcida.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS X CAPIVARIANO

CORINTHIANS: Cássio; Edílson, Felipe, Vilson e Uendel; Willians, Maycon, Marlone (Lucca) e Guilherme (Fagner); Romero (G. Augusto) e Danilo. Técnico:  Tite

CAPIVARIANO: Pedro Henrique; Maguinho, Wagner, Leandro Silva e Marlon; Jácio (Chico), Everton Dias, Samuel Souza e K. Domingues (Romão); Rogerinho e Rodolfo (Carlão). Técnico: Evaristo Piza 

GOLS: Romero, aos 2 minutos, e Marlon, aos 29 do primeiro 

tempo; Guilherme, a 1 minuto do segundo tempo.

JUIZ: Marcelo Aparecido de Souza. 

CARTÃO VERMELHO: Edílson.

CARTÕES AMARELOS: Everton Dias, Marlon e Fagner. 

RENDA: R$ 1.113.209,00. Público: 23.143 pagantes.

LOCAL: Itaquerão, em São Paulo.

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.