Holanda confirma acerto e Advocaat comandará seleção pela 3ª vez

Treinador passou pela seleção de seu país entre 1992 e 1994 e entre 2002 e 2004

Estadão Conteúdo

09 Maio 2017 | 09h22

A Holanda confirmou nesta terça-feira a contratação do técnico Dick Advocaat, de 69 anos. Em sua terceira passagem pelo comando da seleção europeia, ele terá como grande missão recuperar a equipe nas Eliminatórias da Copa do Mundo e buscar uma difícil classificação para jogar na Rússia, no próximo ano.

Advocaat já comandou a Holanda entre 1992 e 1994 e entre 2002 e 2004. Na primeira passagem, era o treinador quando o time holandês foi batido pela seleção brasileira por 3 a 2, nas quartas de final da Copa de 1994, nos Estados Unidos. Desta vez, ele terá como auxiliar Ruud Gullit, ex-capitão da própria seleção holandesa.

O novo treinador vai assumir suas funções na Holanda somente depois de finalizar a temporada no Fernerbahçe, time que comanda atualmente no futebol turco. A temporada será encerrada no próximo mês. E vai coincidir justamente com a próxima rodada das Eliminatórias da Copa, marcada para o dia 9 de junho. A Federação Holandesa de Futebol não confirmou a data de estreia de Advocaat.

O técnico vai substituir Danny Blind, demitido após a derrota para a Bulgária, na última rodada das Eliminatórias, em março. Em baixa nos últimos anos, quando até ficou de fora da Eurocopa, a Holanda sofre para buscar a classificação no Mundial da Rússia.

O time ocupa atualmente a quarta colocação do Grupo A. Pelo formato da disputa, somente o primeiro colocado de cada uma das nove chaves da competição garantem vaga direta na Copa. Os oito melhores segundos colocados vão disputar um playoff para definir mais oito lugares no Mundial.

Ainda com cinco jogos em disputa nas Eliminatórias, a Holanda soma sete pontos. A França lidera com 13, a Suécia tem 10 e a Bulgária soma nove pontos. Assim, o time holandês precisará vencer seus jogos restantes e ainda torcer contra adversários para ter chances de classificação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.