1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Ídolo do Internacional, Fernandão morre em acidente de helicóptero

Daniel Fernandes e Felippe Scozzafave - O Estado de S. Paulo

07 Junho 2014 | 07h 53

Aeronave em que estava o ex-atacante e outras quatro pessoas caiu por volta da 1h deste sábado na cidade de Aruanã (GO)

O sábado é um dia triste para o futebol brasileiro. Morreu, durante a madrugada, o ex-atacante Fernandão, um dos grandes ídolos da história do Internacional e que passou também por clubes como Goiás e São Paulo. Ele estava fazendo de helicóptero o trajeto entre as cidades de Aruanã e Goiânia, em Goiás, quando a aeronave caiu.

Fernandão, com 36 anos, fazia o trajeto de cerca de 310 km acompanhado de outras quatro pessoas quando a aeronave sofreu uma queda por volta da 1h da manhã. De acordo com o tenente-coronel Ronaldo Pereira Soares, sub-comandante do 4º Comando Regional da Polícia Militar de Goiás, Fernandão foi retirado com vida do helicóptero, mas, encaminhado ao Hospital Municipal, não resistiu e faleceu.

Corpo de Bombeiros/Divulgação
Helicóptero com Fernandão caiu logo após decolar

A área onde ocorreu o acidente foi isolada pela Polícia Militar, que aguarda agora técnicos da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). São esses profissionais que vão determinar a causa do acidente. De acordo com o tenente-coronel, o tempo estava bom no momento do acidente. Estavam com Fernandão no momento da queda Lindomar Mendes Vieira, Antonio de Pádua Ferreira, Edmilson de Sousa Lemes e Miltom Ananias.

O ex-atacante estava há três anos longe dos campos de futebol, quando encerrou a carreira no São Paulo. Ele iniciou a sua trajetória no futebol jogando no Goiás. Após anos de destaque, se transferiu para o futebol francês, onde defendeu o Olympique de Marseille e também o Toulouse. Na volta ao Brasil, foi contratado pelo Internacional, clube em que mais se destacou. 
Divulgação
Fernandão estava com apenas 36 anos e atualmente trabalhava como comentarista
Em mais de quatro anos na equipe do Rio Grande do Sul, Fernandão venceu duas vezes o Campeonato Gaúcho, além de ser peça chave nas conquistas da Libertadores da América e também do Mundial de Clubes, em 2006, quando era o capitão da equipe. Em 2008, foi jogar no Al-Gharafa, dos Emirados Árabes. No ano seguinte, voltou ao Brasil para jogar no clube do coração, o Goiás. Depois de algumas desavenças, acertou com o São Paulo em 2010. Depois de um início arrasador, ele acabou decepcionando e decidiu encerrar a sua carreira ainda no primeiro semestre de 2011.

Pouco tempo depois de se aposentar, ele voltou ao Internacional, agora como dirigente e assumiu o cargo de diretor de futebol. No ano seguinte, foi confirmado como treinador da equipe, cargo em que permaneceu até o final do ano. Recentemente, Fernandão estava trabalhando como comentarista na Sportv e estaria na cobertura da Copa do Mundo.