Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Esportes

Esportes » Irritado, Modesto pede 12 milhões de euros por Ricardo Oliveira

Futebol

Ricardo Saibun|Divulgação

Esportes

Santos FC

Irritado, Modesto pede 12 milhões de euros por Ricardo Oliveira

Presidente vai notificar a Fifa por assédio dos clubes chineses

0

Gonçalo Junior,
O Estado de S.Paulo

24 Fevereiro 2016 | 17h47

O presidente Modesto Roma Junior fixou em 12 milhões de euros (R$ 52 milhões) a saída do atacante Ricardo Oliveira do Santos. Após reunião com o Comitê Gestor, o dirigente definiu um valor menor que a multa rescisória, mas mostrou indignação com o que chamou de assédios nos chineses. Na proposta inicial, o time do Beijin Guon queria levar o atacante Ricardo Oliveira de graça.

"Fixamos a saída do Ricardo Oliveira em 12 milhões de euros. "Os chineses precisam aprender que clube brasileiro não é mercado chinês. Não é chegar e levar. Estamos fazendo notificação à Fifa. Chega dessa palhaçada", afirmou o presidente em entrevista coletiva nesta quarta-feira. "A conversa de ontem é que queríamos que o liberassem sem que pagasse nada ao Santos", esbravejou o presidente.

Ricardo Oliveira está fora do jogo contra o Mogi Mirim

 

Modesto afirmou que abriu processo contra o Beijing Guoian por aliciamento na Fifa. "Nós estamos notificando a Fifa por aliciamento ao jogador. Se quiser falar, pague 12 milhões de euros. É um valor, entendemos que dá espaço para o Santos encontrar um substituto para ele".

O presidente revelou que Ricardo Oliveira quer sair, mas o Comitê fixou o valor de venda posteriormente. "O Ricardo externou o desejo dele de sair. A decisão do Comitê foi posterior à saída dele da reunião. Tivemos outra reunião depois. Durante a reunião, o pessoal do Comitê definiu que saída é por 12 milhões de euros", disse Modesto.

O clube chinês está disposto a pagar ao jogador pouco mais de um R$ 1 milhão por mês, quantia sete vezes maior ao salário atual de R$ 150 mil mensais. "Disse ao Ricardo que não tenho poder para decidir isso isoladamente. Ele tem de entender que estamos em cima da hora. A agilidade é dele, não mais nossa", continuou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.