1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Itaquerão recebe jogo às 22h com Metrô em horário diferenciado

Raphael Ramos - O Estado de S.Paulo

03 Setembro 2014 | 07h 00

Estações Corinthians-Itaquera e Artur Alvim do Metrô fecharão à 0h30. CPTM conta com um trem que passará à 0h50

Com Corinthians x Bragantino, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, o Itaquerão volta a receber nesta quarta-feira uma partida às 22h. O último jogo no estádio neste horário foi no dia 23 de julho, contra o Bahia, pela Copa do Brasil, quando vários torcedores não conseguiram pegar trem e metrô para voltar para casa.

O presidente do Corinthians, Mário Gobbi, então, pediu uma reunião com o governador Geraldo Alckmin para discutir o assunto e conseguiu que o Metrô ampliasse em 11 minutos o seu horário de funcionamento. Para a partida desta quarta-feira, até o fim da tarde de terça-feira haviam sido vendidos 26 mil ingressos.

Para atender aos torcedores que desejarem usar o transporte metroferroviário após o jogo, as estações metroviárias Corinthians-Itaquera e Artur Alvim fecharão à 0h30. Os torcedores que entrarem no sistema metroviário até este horário terão integração garantida com as demais linhas de metrô.

JF DIÓRIO/ESTADÃO
SÃO PAULO 23/07/2014 ESPORTES CORINTHIANS X BAHIA / Jogo Corinthians x Bahia válido pela Copa Brasil 2014, realizado no Itaquerão. Na foto: Torcedores do Corinthians no metrô. FOTO JF DIORIO / ESTADÃO

A CPTM conta com um trem que passa à 0h50 na estação Corinthians-Itaquera com destino às estações Tatuapé, Brás e Luz. Neste horário não haverá transferência para as demais linhas do sistema ferroviário. O Metrô e a CPTM recomendam a compra antecipada de bilhetes para facilitar as viagens.

Se o Corinthians vencer o Bragantino por 1 a 0 nesta quarta-feira, a decisão da vaga para as quartas de final da Copa do Brasil vai para os pênaltis e, portanto, o jogo terminará mais tarde. Metrô e a CPTM, no entanto, não mudarão o horário de funcionamento do sistema em caso de penalidades.

O promotor de Justiça Marcelo Milani apura eventual dano econômico com a extensão do horário de funcionamento do Metrô e da CPTM em dias de jogos no Itaquerão e pretende mover ação contra o Estado e o Corinthians para que o clube pague os custos pela hora extra do transporte público.