Rafael Ribeiro/Dia Esportivo
Rafael Ribeiro/Dia Esportivo

Jailson volta como herói e garante empate do Palmeiras com Flamengo

Goleiro defende pênalti e salva o alviverde em igualdade em 2 a 2 com o rubro-negro, no Rio de Janeiro

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

19 Julho 2017 | 23h44

A cada vez que veste a camisa do Palmeiras o goleiro Jailson comprova ser um predestinado ao papel de herói. Surpresa na escalação contra o Flamengo, nesta quarta-feira, o jogador ganhou a vaga do titular Fernando Prass para defender um pênalti no segundo tempo e ajudar o time a segurar o empate em 2 a 2, em uma partida muito equilibrada no Rio, pelo Campeonato Brasileiro.

Jailson até um ano atrás era apenas o terceiro goleiro do clube. A condição mudou radicalmente no ano passado, com a lesão de Prass e atuações inseguras de Vágner, o reserva imediato. O outro suplente assumiu a posição, foi decisivo na conquista do Brasileiro e contra o Flamengo ajudou a manter a escrita de jamais ter perdido pelo Palmeiras em 20 partidas pela competição.

O confronto entre dois dos elencos mais valiosos do Brasil foi empolgante. Embora a situação atual na tabela de briga pelo G-6 esteja abaixo da expectativa dos clubes por um protagonismo maior, a partida serviu para ambos mostrarem força. A Ilha do Urubu lotada presenciou uma partida equilibrada e emocionante, com vários gols. 

O Palmeiras começou o jogo no Rio com uma novidade em alta e o futebol de sempre, irregular e instável. O técnico Cuca surpreendeu ao escalar o goleiro Jailson na vaga de Fernando Prass. Se não fosse pelo novato, o início de partida teria sido pior. A defesa desorganizada, o meio sem marcação e o ataque inerte deixaram o Flamengo testar bastante a qualidade do substituto.

O gol de Pará logo aos 7 minutos desequilibrou de vez o time paulista. O Flamengo se impôs e só perdeu a vantagem ao sofrer dois lances inéditos até então. Foi o Palmeiras resolver atacar duas vezes e finalizar em ambas ocasiões para virar o jogo, com Willian, aos 31, e Róger Guedes, aos 42. Mas como o Alviverde é o time de altos e baixos, com momentos brilhantes e falhas incríveis, levou o empate de Guerrero no lance seguinte. Gol com assistência de chutão do goleiro.

Para vencer o jogo o Palmeiras precisava no segundo tempo ter a precisão das finalizações, com mais solidez na marcação. O problema defensivo foi corrigido com a entrada do volante Thiago Santos. Mais marcador, o time não deixou o Flamengo pressionar e começou a etapa final melhor. Foi a vez do goleiro Thiago trabalhar e fazer boas defesas.

A melhora em campo não significou um domíno amplo por muito tempo e aos poucos o Flamengo equilibrou o jogo e passou a rondar a área. De tanto se aproximar do gol, o time fez por merecer a grande chance que teve, com um pênalti em Geuvânio. O meia Diego foi para a bola, mas o chute parou nas mãos de Jailson. O jogador surpresa na escalação do Palmeiras voltou a ser herói, aos 28 minutos.

O ato heróico do goleiro esfriou o ímpeto do Flamengo. A força ofensiva minguou e permitiu ao Palmeiras ter chegadas perigosas ao ataque nos acréscimos. Borja por pouco não fez o dele e se juntou a Jailson como o nome da noite.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 2 X 2 PALMEIRAS

FLAMENGO: Thiago; Pará, Réver, Rafael Vaz e Trauco; Márcio Araújo (Berrío), Cuellar e Diego; Éverton Ribeiro (Geuvânio), Éverton (Mancuello) e Guerrero. Técnico: Zé Ricardo.

PALMEIRAS: Jailson; Mayke, Mina, Luan e Michel Bastos (Keno); Bruno Henrique (Thiago Santos), Tchê Tchê e Zé Roberto; Róger Guedes, Dudu e Willian (Borja). Técnico: Cuca.

Gols: Pará, aos 7, Willian, aos 31, Róger Guedes, aos 42, e Guerrero, aos 43 minutos do primeiro tempo.

Árbitro: Jailson Macedo (BA).

Cartões amarelos: Bruno Henrique, Mina, Luan, Borja, Márcio Araújo, Michel Bastos, Tchê Tchê, Jailson, Mancuello e 

Dudu. 

Público: 14.223 pagantes.

Renda: R$ 938.105,00.

Local: Ilha do Urubu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.