Ivan Storti / Santos FC
Ivan Storti / Santos FC

Jair diz que Santos conseguiu 'vitória mental' e minimiza cobranças sobre Gabriel

Técnico celebra triunfo com gols de jogadores formados nas categorias de base

Estadão Conteúdo

11 Maio 2018 | 09h06

O técnico Jair Ventura avaliou que o Santos conseguiu uma "vitória mental" ao superar o Luverdense por 5 a 1, na noite de quinta-feira, na Vila Belmiro, no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. O treinador lembrou que o time entrou em campo pressionado pela goleada de 5 a 1 aplicada pelo Grêmio, domingo, pelo Campeonato Brasileiro, mas conseguiu o triunfo de virada e em um cenário de cobrança da torcida.

+ Após 'indignação' em Porto Alegre, Gabriel celebra atuação e goleada do Santos

+ Diretoria do Santos confirma renovação do contrato com a Caixa

Por isso, Jair celebrou o triunfo santista, um resultado que deixa o time em situação confortável na Copa do Brasil. E ele destacou a juventude do elenco do Santos para lidar com um momento adverso, lembrando que os cinco gols da equipe foram marcados por jogadores formados nas divisões de base do clube - Gustavo Henrique, Yuri Alberto e os três de Gabriel.

"Vejo uma vitória mental. É difícil e o grupo virou a chave pelo desempenho e pela parte mental. Incomodou a todos nós. Temos um grupo jovem e os cinco gols foram feitos pelos meninos, também terminamos o jogo com quatro atacantes da base. O Santos tem 15 jogadores da base inscritos na Libertadores, é metade do grupo. Isso pesa, mas tivemos uma boa vitória mental", disse o treinador.

Apesar do placar dilatado, a vitória não foi fácil de ser conquistada pelo Santos, tanto que o Luverdense abriu o placar, perdeu várias chances na etapa inicial e foi ao intervalo com o placar empatado em 1 a 1. O time da casa, então, só deslanchou no segundo tempo, quando marcou quatro vezes.

O grande destaque da partida foi Gabriel, autor de três gols, sendo um de cabeça, um com o pé direito e um de letra. Ele chegou a ser criticado pela torcida, situação encarada como natural por Jair Ventura. O treinador apontou que o atacante é a principal referência do elenco, o que o faz ser mais visado pelos santistas.

"Ele vai ser sempre cobrado, o apelido dele é Gabigol e será cobrado quando não fizer gols. Veio como grande investimento, e quando não consegue os gols, a torcida vai cobrar. Quando eu não venço, a torcida cobra. Seremos sempre cobrados no Santos. Levamos isso com naturalidade. Esperamos ter melhores momentos para não haver isso, mas tentamos sempre fazer o máximo e é assim também com o Gabriel", comentou.

O duelo de volta com o Luverdense está marcado para a próxima quinta-feira em Lucas do Rio Verde. No domingo, o Santos volta a jogar pelo Brasileirão e na Vila Belmiro, diante do Paraná.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.