1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Jefferson espera que situação no Botafogo mude até o fim do ano

O Estado de S. Paulo

29 Agosto 2014 | 14h 17

Goleiro revela que além de satisfação, alguns jogadores chegam mais cedo ao centro de treinamento do clube para poderem comer

Os atrasos salariais que o Botafogo não quitou estão atrapalhando a vida dos jogadores do clube carioca. Em entrevista ao Arena Sportv nesta sexta-feira, o goleiro Jefferson lamentou a situação e expôs algumas situações geradas pelo pagamento atrasado de direitos de imagem dos atletas.

"Geralmente os direitos de imagem representam 80% do salário do jogador e tem outros que são 90%. Tem jogadores que estão indo para a concentração mais cedo para comer. E não são só os jogadores, tem os outros funcionários do clube", afirmou o goleiro, que também é o capitão do time carioca.

Jefferson lamentou a atual situação vivida pelos jogadores do clube e espera que a situação mude até o final do ano. "É claro que é difícil você estar num clube sem perspectiva de melhorar ou não, de pagar ou não e essa é a nossa realidade no Botafogo. Mas a gente está se apegando a esses quatro meses que ainda faltam para ver o que iremos fazer no ano que vem".

Vitor Silva/SS Press
Jefferson revela situações de jogadores no Botafogo

Na 14ª colocação do Campeonato Brasileiro, com apenas 19 pontos (apenas dois da zona de rebaixamento) e derrotado na primeira partida das oitavas de final da Copa do Brasil contra o Ceará, o Botafogo atravessa um momento complicado nas competições que disputa. Mesmo assim, Jefferson manteve o nível que o levaram à Copa do Mundo pela seleção brasileira e está presente na primeira lista de Dunga para os amistosos contra Colômbia e Equador. O goleiro espera manter o nível e ganhar a titularidade da equipe nacional.

"Fico feliz pelo momento que eu passo no Botafogo. Você se destacar quando o time não está bem, quando oscila, realmente é de se exaltar. Meu foco é estar bem no Botafogo e me preparar a cada dia mais para ser titular da seleção brasileira. Estou vivendo um dos melhores momentos da minha carreira", afirmou o goleiro.

No programa, o jogador também comentou sobre as ofensas racistas sofridas pelo santista Aranha. O goleiro revelou que também já foi alvo desse tipo de provocação e espera que as autoridades tomem atitudes severas. "É lamentável em 2014 passarmos por isso. É triste. E isso só vai resolver quando as pessoas em volta se sensibilizarem. Isso já aconteceu poucas vezes comigo, mas eu viro as costas. É uma forma covarde de você apelar com seu adversário", reiterou.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo