1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Jefferson mostra confiança em ser titular: 'Chegou a hora'

Rodrigo Viga Gaier - REUTERS

01 Setembro 2014 | 16h 07

Goleiro do Botafogo, reserva de Julio Cesar na Copa do Mundo, prega respeito a Rafael, mas acredita que ficará com a vaga 

Reserva na decepcionante campanha do Brasil na Copa do Mundo, o goleiro Jefferson vive a expectativa de assumir a camisa um da seleção e afirmou nesta segunda-feira que "chegou a hora" de ser titular.

"Acho que estou num grande momento e confiante na titularidade na seleção", disse ele a jornalistas nos Estados Unidos.

O técnico Dunga chamou dois goleiros para os amistosos contra Colômbia e Equador, na sexta e na terça-feira, nos EUA: além do jogador do Botafogo, o jovem Rafael, de 24 anos, que atuou pelo Santos e atualmente joga pelo Napoli, da Itália.

Na Copa do Mundo, Jefferson foi reserva do camisa 12 Julio Cesar, agora no Benfica, e brigava por uma oportunidade com Victor, do Atlético- MG.

Rafael Ferandes/Mowa Press
Jefferson confia em desempenho mostrado na temporada, como goleiro do Botafogo, para ficar com o posto

Sendo mais experiente que Rafael e há tempos aguardando uma oportunidade, Jefferson, de 31 anos, já fala como titular da seleção nesse recomeço de trabalho com o técnico Dunga.

"Acho que chegou a hora de assumir essa titularidade. Tenho que trabalhar forte e aproveitar a oportunidade", afirmou. "A possibilidade de ser (o novo titular) é muito grande. Respeito o Rafael, mas estou confiante e firme para assumir essa titularidade."

O Brasil começa a se preparar na terça-feira para os dois amistosos nos EUA. O técnico Dunga manteve 10 jogadores da Copa do Mundo deste ano, na qual o Brasil foi humilhado pela Alemanha por 7 x 1 e ficou em quarto lugar, mas trouxe algumas novidades, como os jogadores do Cruzeiro Éverton Ribeiro e Ricardo Goulart.

"Estou com um frio na barriga e estou realizando um sonho", disse Goulart na apresentação nos EUA. "Dá para sonhar com 2018 sim, mas tenho que viver o presente e aproveitar as oportunidades", completou.

O treinador brasileiro vem cogitando a possibilidade de mudar o esquema tático utilizado na Copa do Mundo e jogar sem um centroavante de referência, como foi Fred no Mundial. Jogadores versáteis como Goulart, Robinho e Diego Tardelli ganhariam força nesse novo esquema de Dunga.

"Do meio para frente pode me botar em qualquer posição. Quero é ter oportunidade. Sou um cara leve e de movimentação...Venho agora para cá mais experiente; amo jogar pela seleção e quero dar o meu melhor", declarou Tardelli.

Ainda neste ano o Brasil jogará com Argentina, Turquia e Japão em amistosos internacionais.