Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Jô e Paulo Roberto não vão ao gramado, mas devem reforçar o Corinthians

Atacante e volante se recuperam de problemas físicos

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

04 Outubro 2017 | 18h46

Após dois dias de folga, o elenco do Corinthians se reapresentou na tarde desta quarta-feira com algumas ausências e dúvidas para a partida contra o Coritiba, dia 11, na Arena Corinthians. O atacante e o volante Paulo Roberto, que se recuperam de lesão, não foram para o gramado, mas a expectativa é que ambos tenham condição de jogo.

+ Corinthians volta aos treinos com Jadson ameaçado de perder posição

Jô chegou a postar em sua página no instagram um vídeo fazendo trabalho na academia. "Galera, estou aqui fazendo a fisioterapia, me recuperando para estar de volta o mais rápido possível, valeu", disse o atacante, que se recupera de dores na panturrilha esquerda.

Quanto a Paulo Roberto, o volante se recupera de lesão na coxa direita, mas a expectativa dos médicos e da comissão técnica é que ambos tenham condições de jogo. Jô voltaria no lugar de Kazim e Paulo Roberto assumiria a vaga de Gabriel, suspenso por duas partidas por ter feito um gesto obsceno em direção a torcida do São Paulo.

+ Veja a tabela do Campeonato Brasileiro 

Nesta quarta-feira, o treinamento no gramado foi feito apenas com os atletas reservas e as ausências foram os selecionáveis. Cássio está com a seleção brasileira e Balbuena e Romero estão com a seleção paraguaia.

O atacante Clayson, que pode aproveitar a ausência de Romero e jogar contra o Coritiba, acredita que a paralisação do Campeonato Brasileiro pode servir para o técnico Fábio Carille corrigir os erros que a equipe tem demonstrado nos últimos jogos.

"A gente sempre pode melhorar. Nos últimos jogos erramos passes e isso dificultou. Estamos treinando para evoluir, os resultados não vindo, acontece uma queda de rendimento, mas os adversários está nos estudando e dificultando nosso jogo. Retomamos o caminho da vitória e isso vai passar e vamos ficar tranquilos", comentou. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.