1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Jogadores do Barueri não recebem e se negam a jogar na Série D

Almir Leite - O Estado de S. Paulo

15 Agosto 2014 | 19h 56

Com dois meses de salários atrasados, atletas da equipe paulista decidiram não ir a campo nesta sexta para jogo com o Operário-MT

Por falta de pagamento de salários, os jogadores do Grêmio Barueri recusaram-se a entrar em campo nesta sexta-feira, para enfrentar o Operário do Mato Grosso pelo Campeonato Brasileiro da Série D. O time do centro-oeste deverá ser declarado vencedor da partida por W.O., com o placar de 3 a 0, de acordo com o regulamento da competição. O time da Grande São Paulo deve, segundo os jogadores, dois meses de salários e quatro de direito de imagem e a decisão de não entrar em campo foi tomada pela falta de garantia de que irão receber rapidamente.

Nesta tarde, dirigentes do clube ainda tentaram um último acordo. Por ele, parte do salário seria paga na próxima terça-feira e os jogadores receberiam cheques no valor do restante da dívida. Com medo de que os cheques acabassem sendo sustados, eles optaram por não jogar.

"Os jogadores exigiram receber em dinheiro e isso não ocorreu. Eles apenas mantiveram a palavra'', disse o advogado do Sindicato dos Atletas do Estado de São Paulo, Filipe Rino, que participou das negociações.

Marcos Bezerra/Futura Press
Sem receber, jogadores do Barueri se recusaram a jogar

Os atletas, porém, alegam não estarem em greve, porque comparecem normalmente aos treinamentos e nesta sexta-feira se concentraram normalmente. No início da noite, um funcionário do CT do Barueri disse ao Estado que vários jogadores do time de profissional ainda estavam no local, preparando-se para ir embora. Mas garantiram que se reapresentarão para os treinamentos na segunda-feira.

Eles se baseiam no artigo 32 da Lei 9.615/98, cujo texto diz ser "lícito ao atleta profissional recusar competir por entidade de prática desportiva quando seus salários, no todo ou em parte, estiverem atrasados em dois ou mais meses''. Portanto, como treinam e se concentram,consideram que estão trabalhando normalmente e não jogam amparados pela lei. A diretoria do Barueri foi procurada, sem sucesso. 

BOM SENSO

Em apoio aos atletas do Barueri, os jogadores do Operário se deitaram no gramado em solidariedade. A iniciativa partiu dos próprios atletas da equipe mato-grossense.

O movimento Bom Senso F.C. também apoiou a decisão dos jogadores do Barueri de não entrar em campo e elogiou o gesto dos atletas do Operário. "Esta atitude dos atletas do Barueri reforça e respalda ainda mais as bandeiras que o Bom Senso F.C. defende desde o seu surgimento, principalmente a preocupação com os clubes de divisões inferiores ou aqueles que contam apenas com três a quatro meses de calendário", diz a nota.