1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Copa 2014

Jogo no Morumbi vira 'consolo' para torcida sem ingresso na Copa

Ciro Campos e Fábio Hecico - O Estado de S. Paulo

07 Junho 2014 | 07h 00

Amistoso contra a Sérvia, em São Paulo, se transforma na única chance para muitos verem uma partida do Brasil no ano do Mundial  

A menos de uma semana da estreia na Copa do Mundo contra a Croácia, o amistoso do Brasil contra a Sérvia, no Estádio do Morumbi, transformou-se em um consolo para quem se frustrou por não conseguir ingressos para o Mundial. A partida desta sexta-feira passou a ser uma oportunidade para ver de perto a seleção brasileira – sem que a torcida paulistana abandonasse, durante o jogo, seu habitual tom crítico, com vaias em vários momentos.

A torcida enfrentou chuva e o trânsito caótico da cidade em dia de greve do Metrô. Ainda assim, chegou eufórica. Muitas excursões, famílias, crianças e até turistas estrangeiros – principalmente mexicanos – estiveram presentes no estádio para a despedida antes da difícil missão do grupo de Felipão de buscar, em casa, o título da Copa do Mundo.

"Saímos de manhã de Uberaba (MG) e levamos umas cinco horas para chegar a São Paulo. Viemos especialmente para o jogo", disse Thiago Cortez Aguiar, que trouxe a mulher, Jaqueline, e os filhos Catarina, de 9 anos, e Bruno, de 6. A menina preferiu não arriscar palpite sobre quem seria o destaque da seleção no jogo, mas o garoto não demorou a opinar. "O Hulk é o melhor jogador do Brasil."

A família mineira nem sequer tentou comprar ingressos para a Copa 2014 por achar que seria muito difícil ser sorteada para os jogos. Já um grupo de 15 amigos de São Bernardo do Campo mantém a esperança de participar do torneio e foi junto ao Morumbi – uma chance de reunir todos no mesmo jogo.

Fábio Hecico/Estadão
Grupo de amigos de São Bernardo teve no amistoso a chance de juntos ver a seleção atuar

"Estou tentando de várias formas comprar ingressos para os jogos do Brasil. Ainda não desistimos e vamos continuar a tentar até o último momento", garantiu Rose Toneto, espécie de "capitã" do grupo. Ela disse estar disposta a pagar até R$ 3 mil para ter o direito de ver as partidas do Mundial.

Para o casal de noivos Lucas Guerra e Giovana Carmini, o sonho de ver o Brasil em campo pela Copa está descartado. "Tentamos todos os jogos em São Paulo e no Rio, com vários nomes diferentes no cadastro. Mas não conseguimos nada. Restou pegar entradas para outros jogos", disse Giovana. Já Lucas lamentou a dificuldade de ver a seleção na Copa, mas prometeu que seria exigente em caso de má atuação da equipe de Felipão. "A torcida costuma pegar no pé do Brasil e não pode perder o costume de cobrar e vaiar quando é preciso."

ÁREA VIP

O lado mais requintado do Morumbi também foi bastante disputado. Em muitas áreas vips havia mais convidados do que espaço. Em setores mais caros, por exemplo, torcedores acompanharam a partida de pé, nos corredores, com orientadores que tentavam organizar o público aos gritos: "Não tem lugar marcado".

Copa 2014