1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Copa 2014

Julio Cesar redobra concentração depois da falha em 2010

Robson Morelli - Enviado especial - O Estado de S. Paulo

27 Maio 2014 | 14h 38

Goleiro garante que não se sente titular e que ainda lembra do lance contra a Holanda

TERESÓPOLIS - Durante 48 minutos de entrevistas com os três goleiros da seleção, Julio Cesar manteve a fisionomia séria, quase carrancuda. Mas em alguns momentos ele sorriu e lembrou o jogador de outras Copas. Aos 34 anos, o camisa 1 do Brasil disse que nunca esteve tão concentrado como agora. Sobre seus ombros, a pressão é gigantesca.

"Para falar a verdade, nem me considero titular. Estou muito mais concentrado que em 2010 e por tudo o que me aconteceu, a derrota para a Holanda, os problemas na Inter de Milão e depois no Queens Park Rangers. Pessoalmente, não me sinto pressionado, mas sei que chego questionado", disse o goleiro da seleção brasileira que voltará a usar a camisa 12.

Julio Cesar admitiu que lembra das falhas e da derrota para a Holanda na Copa da África do Sul, resultado que eliminou o Brasil, como se fosse ontem. Ao lado do volante Felipe Melo, ele foi apontado como o grande culpado pelo fracasso do time nacional. Nesses quatro anos, o goleiro teve de trabalhar mais a cabeça que o corpo. "Por isso que chego melhor para esta Copa. Em 2010, quando era qualificado como o melhor goleiro do mundo, cheguei muito confiante. Isso me prejudicou. Excesso de confiança, nesse caso, pode atrapalhar. Estou muito mais forte agora".

Ele sabe que se não fosse por Parreira e Felipão, muito provavelmente sua história em Copas teria acabado naquelas falhas na África do Sul. "Eu sei dos riscos que eles estão correndo, mas vou retribuir essa confiança a eles. Podem acreditar."

Embora não se considere titular, Julio entra para o seleto grupo dos goleiros que defenderam o Brasil em dois Mundiais. Isso já aconteceu com Gilmar, Leão e Taffarel.

Copa 2014