1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Justiça determina condução coercitiva do presidente da CBF à CPI

- Atualizado: 09 Março 2016 | 07h 38

Pedido é do senador Romário, presidente da comissão do Futebol

A Justiça Federal de Belém determinou na noite desta terça-feira a condução coercitiva do presidente em exercício da CBF, Antônio Carlos Nunes da Costa, à CPI do Futebol. O pedido foi feito pelo senador Romário, presidente da comissão, após o coronel Nunes deixar de comparecer à sessão do dia 2 de março. Ele alegou que não poderia comparecer porque no dia 3 aconteceria a convocação da seleção brasileira para as partidas contra Uruguai e Paraguai, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo da Rússia.

Romário, então,  anunciou que pediria a condução coercitiva. . "Numa atitude bem ao feitio do grupo dos 7 a 1 que se apoderou da CBF, que só pensa em ganhar salários milionários, o coronel Nunes fugiu sorrateiramente da convocação", disse o senador.

Dunga e Coronel Nunes chegam para o anúncio dos convocados para jogos das Eliminatórias
Dunga e Coronel Nunes chegam para o anúncio dos convocados para jogos das Eliminatórias

No início da noite desta terça-feira, o juiz federal Antônio Carlos Almeida Campelo da 4ª Vara Criminal Especializada,  determinou a condução do coronel  até o plenário dois do Senado, no próximo dia 16.

Nunes é presidente interino desde o dia 7 de janeiro. Em fevereiro, ele esteve na Suíça para a eleição da Fifa, e depois nos Estados Unidos, por ocasião do sorteio dos grupos da Copa América.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EsportesX