Justiça do Rio decreta prisão de oito acusados da morte de torcedor do Botafogo

Crime ocorrido em fevereiro teve morte causada por golpes de espeto de churrasco

Marcio Dolzan, Estadão Conteúdo

19 Maio 2017 | 19h22

A Justiça do Rio de Janeiro decretou nesta sexta-feira a prisão preventiva de oito acusados de participar da morte de um torcedor do Botafogo em fevereiro, antes do clássico entre o time alvinegro e o Flamengo, pelo Campeonato Carioca, no estádio do Engenhão. Na ocasião, Diego Silva dos Santos morreu após ter sido atingido por golpes, incluindo o de um espeto.

Os envolvidos que tiveram a prisão preventiva decretada são Vitor Portêncio da Silva, Wallace Costa Mota, Fábio Henrique Pinheiro, Rafael Maggio Afonso, Adonai Dias dos Santos, Hebert Vinicius Sabino de Paula, Rafael Silveira Camelo e Rogério Silva Guinard. Segundo testemunhas, eles teriam atacado Diego da Silva dos Santos, mesmo já caído, com chutes, barras de ferro e um espeto de churrasco.

Em sua decisão, a juíza Tula Corrêa de Melo, da 2.ª Vara Criminal do Rio, citou a "periculosidade" do grupo para decretar a prisão preventiva. "Note-se que se trata de acusados que se associaram em quadrilha armada para prática de homicídio, consoante se afere das informações colhidas durante a investigação policial, sendo notório os confrontos organizados e realizados por torcidas organizadas por todo o país, o que demonstra a periculosidade de seus integrantes, razão a indicar a necessidade da cautela como forma de garantir a ordem pública", escreveu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.