Ivan Storti/Santos/Divulgação
Ivan Storti/Santos/Divulgação

Lucas Veríssimo admite má atuação do Santos contra Atlético-PR, mas festeja vaga

Defensor valoriza a classificação, apesar das dificuldades encontradas na partida

Estadao Conteudo

11 Agosto 2017 | 16h38

O zagueiro Lucas Veríssimo, do Santos, admitiu em entrevista coletiva nesta sexta-feira que o time teve um desempenho abaixo da média na vitória por 1 a 0 sobre o Atlético Paranaense, que garantiu a equipe nas quartas de final da Copa Libertadores. Mas o defensor valorizou a classificação, apesar das dificuldades encontradas na partida.

 

"A classificação era o que buscávamos e ela a gente conseguiu. Talvez não da maneira que a gente queria. Sabemos que ficamos abaixo. Sabíamos que seria um jogo bem difícil e foi. Nosso time tentava sair de trás, mas estava difícil. A marcação deles estava bem feita. Não conseguimos tantas infiltrações porque o time deles estava bastante compactado. No segundo tempo, conseguimos corrigir, foi quando a nossa equipe cresceu e conseguimos achar o gol que nos deu a vitória. Prefiro continuar sofrendo e conquistando as vitórias, porque é isso que a gente quer", analisou o zagueiro.

Lucas Veríssimo ressaltou que, apesar de o clube santista ter avançado na Libertadores - agora o adversário será o Barcelona, de Guayaquil, do Equador, que eliminou o Palmeiras nas oitavas de final -, a intenção é disputar o Campeonato Brasileiro com o mesmo empenho e buscar a melhor colocação possível no torneio.

 

"Estamos focados nas duas competições. Queremos pontuar o máximo possível no Brasileiro, independentemente de o Corinthians perder ou não, se vai cair ou não, a gente quer fazer a nossa (parte). Claro, eles tropeçando e a gente encostando, melhor ainda. Mas é focar no nosso trabalho. E na Libertadores também", garantiu.

 

O Santos voltará a campo pelo Brasileirão na segunda-feira, às 20 horas, para enfrentar o Fluminense, no estádio do Pacaembu, em São Paulo, na abertura do segundo turno da competição (20.ª rodada). Para o duelo, o técnico Levir Culpi não poderá contar com o volante Renato, de 38 anos, que sente dores musculares.

 

O treinador deverá voltar à formação com apenas um volante de origem - antes, Levir Culpi vinha utilizando Vecchio e Lucas Lima na armação, mas a lesão muscular do argentino provocou uma mudança no time com a entrada de Alison, que melhorou a marcação, mas comprometeu a criação da equipe. O técnico ainda comandará dois treinos - neste sábado e domingo - antes de definir os titulares para o jogo contra os cariocas.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.