Ricardo Stuckert/Instituto Lula
Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Lula diz ser 'babaquice' querer que o torcedor chegue de metrô ao estádio

Durante palestra em São Paulo, ex-presidente disse que o torcedor brasileiro vai até descalço aos jogos

Ricardo Galhardo , O Estado de S. Paulo

16 Maio 2014 | 19h46

SÃO PAULO - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira ser "babaquice" a ideia de oferecer condições para que os torcedores cheguem de metrô aos estádios que vão sediar os jogos da Copa do Mundo. Durante palestra a blogueiros em São Paulo, Lula disse que o brasileiro vai até descalço ver as partidas.

"Nós nunca reclamamos de ir a pé (ao estádio). Vai a pé, vai descalço, vai de bicicleta, vai de jumento, vai de qualquer coisa. A gente está preocupado? Ah não, porque agora tem de ter metrô até dentro do estádio. Que babaquice que é essa?", disse Lula.

O ex-presidente comentou ainda que o País tem de dar "garantia para esse povo assistir aos jogos, comer nossa comida, uma boa comida mineira, baiana, paraense, paulista. É disso que nós temos de ter orgulho. Eles vão ver esse povo andando na rua alegre, não é aquele povo sisudo".

O ex-presidente, no entanto, afirmou que não vai assistir os jogos da Copa nos estádios. "Eu já tomei a decisão de não ver nenhum jogo (no estádio). Vou ver em casa, né? Porque já que não pode entrar bebida (nos estádios), em casa vou tomar uma cervejinha e ninguém pode reclamar." Lula cometeu um equívoco nesta afirmação, já que bebidas alcoólicas foram liberadas dentro dos estádios durante a Copa da Fifa.

Dizendo-se orgulhoso pela conquista do direito de sediar a Copa do Mundo e a Olimpíada, Lula afirmou que não pensou em dinheiro quando optou por concorrer a ser país-sede dos eventos esportivos. "Quando eu pensei isso, não pensei em dinheiro, se vai entrar R$ 30 bilhões, R$ 40 bilhões. Eu não pensei nisso."

O ex-presidente afirmou que não se preocupa com a possibilidade de serem mostradas nas TVs internacionais imagens de barracos e mendigos dormindo nas ruas do Brasil. "Não tenho preocupação nenhuma que mostrem barracos. Podem mostrar quantos barracos quiserem. Não tem de tirar ninguém da rua", disse. "Se tiver 'nego' dormindo na rua tem de deixar na rua. Ele é brasileiro igual nós. Se ele tem problema, temos de tentar resolver o problema, mas esconder pobre está fora de qualquer cogitação", completou.

De bom humor, Lula disse também que não tem receio sobre a realização da Copa do Mundo. "Do que eu tenho medo? Eu tenho medo de acontecer o que aconteceu com o Uruguai aqui em 1950", ironizou. Naquele ano, o Brasil sediava a Copa do Mundo e perdeu na final para a seleção uruguaia, no episódio que ficou marcado como a maior tragédia do futebol brasileiro, o Maracanazo.

Ainda usando de ironia, Lula comentou que achou "fantástico" saber que a presidente Dilma Rousseff está juntando figurinhas para o álbum da Copa. "Agora só falta alguém ensinar a Dilma a bater bafo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.