Carlos Gregório/ Vasco
Carlos Gregório/ Vasco

Madson prevê Vasco fortalecido após retorno da torcida a São Januário

Após punição de seis partidas, equipe carioca comemora apoio em casa para a partida contra o São Paulo

Estadao Conteudo

11 Novembro 2017 | 16h50

A partida deste domingo contra o São Paulo, no Rio de Janeiro, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro, será especial para o Vasco. Afinal, a equipe novamente poderá contar com o apoio de sua torcida em São Januário. E, para o lateral-direito Madson, o fato vai fortalecer o time carioca na reta final da competição.

+ Zé Ricardo prevê jogo 'agradável' e 'ofensivo' contra o São Paulo

+ Militão treina, é relacionado e reforça o São Paulo no duelo contra o Vasco

Proibido de jogar em seu estádio com a presença de torcida por seis partidas, devido à confusão no clássico com o Flamengo, em julho, o Vasco já estava liberado para mandar normalmente seus jogos. Mas, por conta da turbulenta eleição de sua presidência, optou por mandar os últimos duelos no Maracanã.

"É super importante para o nosso grupo voltar a jogar em São Januário com o apoio dos torcedores", destacou o lateral. "É a nossa casa, o lugar onde existe uma sintonia muito grande entre jogadores e torcida. Esperamos que ela possa lotar o estádio amanhã (domingo) e nos incentivar do começo ao fim. Que venha para nos apoiar, se trata de um jogo fundamental e temos boas possibilidades de entrar no G7. Somos fortes em casa."

Oitavo colocado, com 48 pontos, o Vasco estaria em uma posição melhor não fosse a punição, segundo Madson. "Se tivéssemos atuado mais vezes aqui, certamente estaríamos em uma condição melhor na tabela. Jogar em outros lugares, com portões fechados, nos prejudicou. Que a torcida compareça em grande número e jogue junto. Estamos focados em fazer um bom jogo e sair com a vitória."

Análise semelhante foi feita pelo atacante Paulinho, que pela primeira vez vai atuar em São Januário sob os olhares da torcida. "Se a gente não tivesse precisado jogar longe de casa por conta da punição, estaríamos ainda melhores na tabela, brigando nas cabeças. Esse apoio, a partir de agora, vai ser fundamental para terminarmos o campeonato bem, atingindo o nosso objetivo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.