Mano exalta superioridade do Cruzeiro em clássico decisivo e critica o árbitro

Treinador lamenta sua equipe não ter convertido as várias chances que criou contra o Atlético-MG, no Mineirão

Estadao Conteudo

01 Maio 2017 | 09h02

O técnico Mano Menezes elogiou o rendimento do Cruzeiro no empate com o Atlético Mineiro em 0 a 0, neste domingo, no Mineirão, pela primeira partida da final do Estadual. Mas lamentou o fato de o time não ter convertido as várias chances que criou em gols.

"Fizemos o que tínhamos de fazer no jogo: sair dele com a consciência tranquila de que demos o nosso máximo em termos de atitude como equipe. Ao meu ver, fomos bastante superiores no clássico, os números não deixam dúvida. Mas, não conseguimos fazer o gol. Agora, vamos voltar nossas atenções depois para o segundo jogo. Vamos continuar jogando assim", garantiu o treinador.

O comandante cruzeirense também reclamou bastante da arbitragem de Dewson Freitas no clássico. Para Mano Menezes, o árbitro influenciou no resultado final da partida. O treinador listou alguns lances que considerou prejudiciais para a sua equipe.

"Hoje, tivemos apoio do nosso torcedor. É óbvio que nos sentimos mais à vontade diante do nosso torcedor, mas não foi o suficiente para termos uma arbitragem isenta. A arbitragem foi dolorosa, conduziu situações do jogo o tempo inteiro. Não aplicou cartões claros, amarelos, e nós sabemos o por quê. Porque era sobre jogadores que estavam com dois cartões amarelos e eles iriam ficar fora do segundo jogo, como foi o caso visível do Marcos Rocha. Deveria ter sido expulso o Gabriel, num lance claro, em direção ao gol. Aliás, tivemos um lance duvidoso de pênalti, no primeiro tempo (sobre Arrascaeta)", criticou o técnico.

Cruzeiro e Atlético Mineiro terão compromissos importantes neste meio de semana, antes da finalíssima do Estadual, marcada para o próximo domingo. O time cruzeirense vai enfrentar a Chapecoense, na quarta, às 21h45, no Mineirão, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. O Atlético Mineiro jogará contra o Sport Boys, na Bolívia, no mesmo dia, às 19h30 (hora de Brasília), pela Copa Libertadores.

Questionado se teme o desgaste da equipe, Mano ressaltou que os dois times chegarão ao jogo decisivo em igualdade. "As duas equipes estarão em igualdade de condições, pois ambas vão jogar na quarta-feira. Então, se tiver desgaste, todos terão. Se estivermos equilibrados, teremos condições de fazer o que fizemos hoje. Acho que fizemos uma boa parte do que precisávamos fazer. Faltou o gol", salientou Mano.

O Cruzeiro precisa vencer o rival no próximo domingo, no Independência, para se sagrar campeão mineiro. O Atlético-MG, por ter feito melhor campanha na primeira fase do Estadual, tem a vantagem de jogar por outro empate em casa para ser campeão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.