1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Mano inicia sua segunda passagem no Corinthians sob pressão e desconfiança

Fábio Hecico - O Estado de S. Paulo

06 Janeiro 2014 | 04h 00

Treinador tem de conviver com imagem vencedora de Tite e resgatar bom futebol da equipe sem reforços

SÃO PAULO - Quando assumiu o Corinthians pela primeira vez, em 2008, Mano Menezes disse que tinha pela frente o maior desafio da carreira. Cumpriu as metas, recolocou o time na elite nacional e só saiu para a seleção brasileira. Agora, passados três anos da despedida, o treinador chega ao clube novamente sob desconfiança e pressão.

Em 2008 Mano era uma aposta. E se sobressaiu, com bom futebol e títulos (Série B, Paulista e Copa do Brasil). Agora, ele chega para apagar a sua má impressão deixada na seleção brasileira e no Flamengo. E, pressionado a conviver com a sombra vencedora de Tite, que muitos torcedores cobravam da diretoria a ampliação do contrato.

O presidente Mário Gobbi optou pelo retorno do amigo Mano, já divulgou mensagem de apoio ao novo treinador e pediu compreensão dos corintianos. Acontece que, depois de um segundo semestre de 2013 decepcionante, a torcida não admite mais fracassos.

Mano terá de “reorganizar a casa” sem reforços, recuperar a imagem desgastada de alguns jogadores, casos de Emerson Sheik, Romarinho, Danilo, Douglas e Alexandre Pato, e fazer o ataque voltar a marcar gols  fez apenas 27 gols em 38 rodadas do Brasileirão.