Antonio Lacerda/EFE
Antonio Lacerda/EFE

Mano se diz satisfeito com empate e promete que Cruzeiro não vai se iludir

Time mineiro conseguiu empate no final do segundo tempo em jogo onde produziu menos em relação ao rival

Estadao Conteudo

08 Setembro 2017 | 09h11

O empate por 1 a 1 com o Flamengo no jogo de ida da final da Copa do Brasil deixou o Cruzeiro em situação mais confortável, afinal, agora o time vai decidir a competição em casa, no Mineirão, em 27 de setembro, precisando de uma vitória simples. O técnico Mano Menezes assegurou, porém, que a sua equipe não se iludir diante da condição favorável e prometeu foco para assegurar o objetivo de conquistar o título.

"O objetivo de quem chega na final é ser campeão. Passamos a semana dizendo que não poderíamos esperar jogar só 90 minutos. Fizemos a primeira parte dessa etapa e temos que fazer a segunda. Não vamos nos iludir com facilidades antes da hora. Sempre trabalho com uma conscientização grande do que é ser campeão. É um grupo muito seleto de profissionais que chegam para disputar uma Copa do Brasil. Chegamos em uma condição que gostaríamos, mas sempre com muito respeito, porque sabemos que do outro lado temos um grande adversário", afirmou.

Mano, porém, reconheceu que o placar foi positivo para o seu time, ainda que veja a decisão indefinida. Ele admitiu que o Cruzeiro foi inferior ao Flamengo no primeiro jogo da decisão da Copa do Brasil e apontou que em alguns aspectos, como a saída de bola, o seu time atuou abaixo do nível esperado.

"Foi um bom resultado, não merecemos vencer. Foi um jogo difícil, o que era esperado. O Flamengo conseguiu controlar bem o jogo, tomando a iniciativa, criando dificuldades pra gente. Erramos muito a nossa saída de bola. Algumas questões são normais, em outras fomos um pouco abaixo. Mas, tudo dentro da normalidade para esse primeiro jogo. Saímos atrás e tivemos força para buscar o empate. Um resultado que leva a decisão para a nossa casa, que era o mínimo que viemos buscar aqui. Em parte, saímos satisfeitos. Agora trocamos a cor da arquibancada para o segundo jogo", disse.

O treinador também assegurou que o Cruzeiro terá postura diferente na finalíssima, no Mineirão, propondo mais o jogo, algo que praticamente não aconteceu no Maracanã. Na sua avaliação, isso não se deu na última quinta-feira pela força do Flamengo quando atua como mandante, fator que agora estará ao lado seu time na partida decisiva da Copa do Brasil.

"Certamente teremos que tomar mais iniciativa jogando na nossa casa. Não temos uma decisão decidida, temos uma decisão aberta. Empatamos fora e precisamos vencer em casa para conseguir o título. Essa questão não é uma decisão unilateral minha. Gosto de sofrer menos. O adversário teve a competência de fazer bem feito. E isso tudo tem a ver com o ambiente favorável. Um dos grandes jogadores do Flamengo é o Maracanã lotado. Sempre foi difícil jogar aqui e fazer o resultado também por isso. Essa parte muda bastante para o jogo de volta. Não vamos sair daqui pensando que é só colocar em campo e fazer do jeito que a gente quer. O Flamengo terá suas estratégias e a decisão está em aberto. Vamos conscientes para casa sabendo que precisamos fazer um jogo melhor e temos condições de fazer", projetou o treinador cinco estrelas", comentou.

Antes do segundo jogo da final, o Cruzeiro terá alguns compromissos pelo Campeonato Brasileiro. E o primeiro deles será no domingo, quando a equipe vai visitar a Chapecoense, na Arena Condá, pela 23ª rodada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.