Manobra contra Pet desestabiliza Fla

A crise no Flamengo agravou-se nesta terça-feira com uma denúncia do técnico João Carlos, a de que a diretoria do clube o estava proibindo de escalar Petkovic nas últimas rodadas. Isso gerou mal-estar na relação da comissão técnica com os dirigentes e piorou o clima para a partida desta quarta-feira à noite, contra o Bangu, pelo Torneio Rio-São Paulo. Petkovic está suspenso pela diretoria do Flamengo por tempo indeterminado. Parte da torcida rubro-negra pretende fazer novos protestos durante o jogo, que será disputada em Moça Bonita, às 20h30. Por isso, um forte esquema de policiamento foi preparado, assim como ocorreu no domingo, quando o Flamengo enfrentou o América, no mesmo local. Na última semana, vários torcedores do clube invadiram o gramado da Gávea disparando morteiros contra os atletas. O goleiro Júlio César acabou agredido com socos. A vitória sobre o América não amenizou o ambiente. O Flamengo tem dívida superior a R$ 200 milhões e não paga seus funcionário há pelo menos três meses. O time está praticamente sem chances no Rio-São Paulo e também na Taça Libertadores. Confirmando-se a eliminação nas duas competições, o prejuízo nos próximos três meses deverá aumentar em R$ 10 milhões. ?Só nos resta vencer jogo a jogo para tentar superar isso?, disse o meia Juninho.

Agencia Estado,

19 Março 2002 | 19h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.