Maradona desafina e ataca políticos

Diego Armando Maradona mostrou, na noite de terça-feira, que é péssimo cantor. Mas, assim como já ocorreu em várias outras ocasiões, soltou a língua, mais afiada do que nunca. O astro participou de festa de lançamento de disco beneficente, em Buenos Aires, e não poupou críticas aos políticos. ?São todos ladrões?, mandou, de primeira, o maior ídolo do futebol argentino de todos os tempos. A aparição de Maradona foi o ponto alto na reunião organizada por entidade que tenta arrecadar fundos para hospital infantil. O disco tem canções como ?La Mano de Díos? (A mão de Deus), que fala do meia e de seus tempos de glória como jogador. Maradona atendeu ao apelo do público, subiu ao palco e cantou. Uma lástima, que não o incomodou. ?Meu negócio é futebol?, rebateu o antigo meia, cada vez mais rechonchudo. ?Isto aqui é uma obra do bem.? Para não perder a viagem, o ídolo concentrou sua ira sobre a classe política. ?Não há nenhum deles que jamais tenha roubado?, reclamou. ?Não peço que sejam como Fidel Castro, mas que tenham consciência e devolvam um pouco o que roubaram.? Maradona vive em Cuba, onde se trata de dependência de drogas, e tem verdadeira adoração por Fidel.

Agencia Estado,

28 Agosto 2002 | 18h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.