1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Futebol Internacional

Maradona e outros astros visitam papa antes de jogo solidário

Estadão Conteúdo

01 Setembro 2014 | 13h 37

'Jogo pela Paz', realizado como 'chamado' contra a guerra e a violência, ocorre nesta segunda-feira, no Estádio Olímpico de Roma

O papa Francisco abençoou mais de 50 estrelas do futebol mundial, de diferentes nacionalidades, que ainda nesta segunda-feira vão participar do "Jogo pela Paz", encontro convocado pelo pontífice como um chamado para acabar com as guerras e a violência.

"Eu os agradeço por terem aderido ao meu desejo de ver os campeões de diferentes países e diferentes religiões como testemunhas de amizade e fraternidade", disse Francisco em uma cerimônia solene na Sala Paulo VI do Vaticano.

Grandes nomes da história do futebol, como Diego Armando Maradona, Andrea Pirlo, Iván Zamorano, Samuel Eto'o e Carlos Valderrama estavam presentes e vão jogar mais tarde da partida organizada por Javier Zanetti. Embora existisse grande expectativa, Lionel Messi não participará do jogo, pois se contundiu no último fim de semana.

Gregorio Borgia/AP
Compatriotas, Diego Maradona e Papa Francisco estarão presentes no "Jogo pela Paz" desta segunda

Já Ronaldinho Gaúcho, que também foi convidado, avisou através de seu perfil no Twitter que não participará do jogo. "Agradeço a honra do convite do Papa para o Jogo pela Paz, infelizmente não poderei participar, mas desejo ótimo jogo e que Deus abençoe a todos", escreveu.

Os jogadores estavam com suas famílias e também autoridades do futebol, em total de cerca de 400 pessoas presentes. E um a um cumprimentaram o papa ao final da cerimônia. O pontífice recordou que a partida "é uma ocasião para arrecadar fundos para projetos de solidariedade para refletir sobre os valores universais que o esporte podem oferecer".

Se trata, disse ele, de "um gesto altamente simbólico para construir a cultura do encontro, em um mundo de paz, de diferentes religiões, preservando a própria identidade, para viver em harmonia e respeito mútuo".

"O esporte", acrescentou, "pode dar uma contribuição para a coexistência pacífica de todos os povos." Francisco deu uma oliveira a ser plantada antes do jogo desta segunda-feira no Estádio Olímpico, em Roma.

Futebol Internacional