Alex Silva|Estadão
Alex Silva|Estadão

Marca da Uniesp em camisa do Corinthians irrita grupo de ex-alunos

Universidade está em patrocínio pontual nos ombros para a final do Paulistão

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

04 Maio 2017 | 07h02

Grupos de ex-alunos que movem ação coletiva contra a Uniesp ficaram espantados com o espaço da empresa nos ombros da camisa do Corinthians na final do Paulistão. Ela estampou sua marca por causa do espaço cedido pela Universidade Brasil, o que gerou indignação.

“Todo mundo ficou revoltado quando viu esse patrocínio. O nome da gente está sujo porque eles se negam a pagar uma dívida que nos prometeram e agora patrocinam um time de futebol. Tem mais de 800 pessoas com essas dívidas”, afirmou a pedagoga Rute Marques da Silva, de 52 anos, que recebeu boletos que somam R$ 49.397,00 a pagar.

Em 2011, a universidade promoveu o programa “A Uniesp paga”. Nele, se comprometia a bancar os cursos dos alunos que cumprissem algumas horas semanais de “trabalho social” em determinadas ONGs e associações por ela designadas. “Era como uma bolsa. O contrato dizia que, se fizéssemos serviços sociais, ganharíamos o curso”, diz.

A Uniesp explica que os alunos que “receberam cobranças é porque possivelmente não cumpriram integralmente suas obrigações pactuadas em contrato”.

A empresa lembra que “todo aluno que tem parecer do Comitê com Constatação de Descumprimento de uma ou mais responsabilidades contratuais poderá apresentar pedido de reconsideração/reanálise ao Comitê Uniesp Solidária” e conta que “já está pagando mensalmente as parcelas de amortização do contrato de Fies de mais de 1.500 egressos que demonstraram cumprimento integral e satisfatório dos citados encargos contratuais”.

Mais conteúdo sobre:
Corinthians Fies

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.