Assine o Estadão
assine

Esportes

Marcelo Oliveira

Marcelo Oliveira diz que Palmeiras teve pouco tempo para treinar

Treinador busca justificativa para derrota contra a Ferroviária

0

Gonçalo Junior,
O Estado de S. Paulo

28 Fevereiro 2016 | 20h06

O técnico Marcelo Oliveira reconheceu a fraca atuação do Palmeiras na derrota para a Ferroviária por 2 a 1, neste domingo dentro do Allianz Parque, em que o time saiu de campo vaiado. O treinador afirmou que a equipe teve pouco tempo para treinar depois da vitória por 4 a 1 sobre o XV de Piracicaba, na última quinta-feira.

"Do último jogo para a Ferroviária não treinamos. Chegamos de madrugada, com time cansado e agora temos de acertar para quinta-feira. Temos de ficar marcando mais tempo e que as linhas estejam mais próximas. Estávamos com este problema no primeiro tempo", afirmou o treinador em entrevista coletiva após a partida.

Depois de comemorar a sequência de quatro jogos em casa pelo Campeonato Paulista e Libertadores, o Palmeiras se vê novamente pressionado. O time ainda não venceu em sua arena este ano (perdeu para Ferroviária e Linense, além de ter empatado com o Santos). O próximo compromisso é justamente em casa, contra o Rosario Central, pela Libertadores, na próxima quinta-feira.

"Esse time como entrou é taticamente equilibrado, tem velocidade, boa técnica, mas em alguns momentos rifamos, perdemos a parte técnica. Alguns contra-ataques carregamos muito a bola e o futebol mesmo jogando com times de menor tradição todo mundo corre muito, todo mundo tem organização tática e dá a vida. Precisamos melhorar no contexto geral", disse o treinador.

Esse foi o 50º jogo de Marcelo Oliveira no comando do Palmeiras. Ao todo, foram 22 vitórias e 17 derrotas e nove empates. "Meus números não são esses, mas tem sido assim, não dá para ficar torturando com as derrotas e pensar no percentual. Tem de pensar que pode jogar melhor, era a mesma proposta do último jogo de marcar forte e sair jogando, lateral passando, Dudu e Jesus com velocidade. Era tudo bem planejado, e na prática não conseguimos fazer", afirmou.

Comentários