Marcos admite que sua ausência na seleção foi justa

Triste, mas conformado. Foi assim que o goleiro Marcos reagiu diante da ausência de seu nome na lista de convocados para a Copa do Mundo, divulgada nesta segunda-feira pelo técnico Carlos Alberto Parreira. Depois de ter sido pentacampeão em 2002, o jogador do Palmeiras acabou ficando fora - Dida, Júlio César e Rogério Ceni foram os escolhidos. ?Claro que eu tinha esperança, mas o Parreira foi justo. Todos os 23 convocados fizeram por merecer e, para a minha posição, ele também foi justo. Bastante coerente?, afirmou Marcos, conformado em ter de acompanhar o Mundial apenas como mais torcedor. O goleiro acompanhou a divulgação da lista em sua casa, acompanhado da namorada e de alguns familiares. ?Veio o nome do Kaká, depois o do Lúcio, o do Luisão e aí pulou para o Ricardinho. Pensei: pronto, dancei!?, contou o Marcos, sem perder o humor. ?Talvez se eu estivesse jogando, ficaria mais chateado. Sabia que tinha poucas chances.? O que consolou Marcos foi o fato de ter ficado fora da lista de Parreira por não estar totalmente recuperado da lesão muscular na coxa direita. E não por deficiência técnica. ?Seleção não tem espaço para ser testado. Tem de estar 100% fisicamente, porque você sempre tem de estar pronto caso precise defender o Brasil?, disse o goleiro. ?Pensando como treinador da seleção, era difícil convocar quem está há três meses parado e deixar de fora um goleiro que está arrebentando no clube e é tricampeão do mundo e da Libertadores?, admitiu Marcos. ?Eu tive o azar de me contundir e o Rogério Ceni, a felicidade de estar em um time que vem ganhando tudo.?

Agencia Estado,

15 Maio 2006 | 19h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.