Divulgação/CBF
Divulgação/CBF

Mário Fernandes entra em lista preliminar da Rússia para Copa das Confederações

Lateral direito, ex-Grêmio, está no CSKA desde 2012

Estadão Conteudo

15 Maio 2017 | 10h26

O lateral-direito brasileiro Mário Fernandes, que se naturalizou russo, foi incluído em uma lista preliminar de 30 jogadores convocados pela Rússia para a Copa das Confederações, competição marcada para ocorrer entre 17 de junho e 2 de julho no país anfitrião da Copa do Mundo de 2018.

Ex-Grêmio e no CSKA Moscou desde 2012, Mário Fernandes ganhou a cidadania russa no ano passado e já havia sido chamado anteriormente para defender a seleção local nos amistosos contra Costa do Marfim e Bélgica, realizados em março passado. E ao figurar nesta nova convocação feito pelo técnico Stanislav Cherchesov, o jogador deu novo passo para disputar a principal competição da Fifa que serve de preparação para o Mundial.

Mário Fernandes vem fazendo parte do processo de renovação que vem sendo promovido por Cherchesov na seleção russa, da qual vem descartando veteranos como Sergei Ignashevich e Vasily Berezutsky, que estiveram presentes na Eurocopa do ano passado.

Apenas um dos 30 jogadores incluídos nesta lista preliminar de convocados para a Copa das Confederações não atua no futebol da Rússia. Trata-se do defensor Roman Neustaedter, alemão que também se naturalizou russo e hoje joga pelo Fenerbahçe, da Turquia.

A lista final da convocados para a Copa das Confederações deverá ser reduzida para 23 nomes até 7 de junho. A seleção russa irá integrar um grupo que contará com Nova Zelândia, Portugal e México na competição, que será aberta no dia 17 do próximo mês com o duelo entre russos e neozelandeses.

Antes de definir sua lista final de convocados, a Rússia realizará um período de treinos que irá durar entre 25 de maio e 3 de junho, na Áustria. Em seguida, no dia 5, faz amistoso contra a Hungria, em Budapeste, e depois encara o Chile, no dia 9, em Moscou, onde medirá forças com uma das seleções que estará presente nas Copa das Confederações como atual campeã sul-americana.

RECUSA À SELEÇÃO BRASILEIRA

Formado como jogador pelo São Caetano, o atleta depois se transferiu para o Grêmio, no qual se profissionalizou em 2009 e atuou até 2012, ano em que foi contratado pelo CSKA Moscou. Depois disso, Mário Fernandes se naturalizou russo em julho do ano passado e no mês seguinte chegou a ser convocado para defender a seleção nacional. Entretanto, não pôde vestir a camisa da equipe nacional por então ainda não ter completado cinco anos pelo CSKA Moscou, período mínimo exigido para que um atleta possa atuar pela Rússia.

Bem antes de se firmar na Rússia e adotar o país como nação enquanto jogador, Mário Fernandes ficou famoso em 2011 ao recusar uma convocação para a seleção brasileira, então dirigida por Mano Menezes. Na época, foi chamado pela primeira vez para defender a seleção brasileira no Superclássico das Américas, contra a Argentina. Porém, o ex-jogador do Grêmio alegou que não tinha condições psicológicas para vestir a camisa do Brasil por causa de "problemas particulares responsáveis por uma alta carga de estresse".

Apesar do fato incomum, as portas da seleção não se fecharam para ele e Mário Fernandes depois acabou sendo convocado para defender o Brasil em amistosos contra Japão e Argentina, em 2014, quando foi chamado pelo técnico Dunga, antecessor de Tite, atual comandante do time nacional. Entretanto, só atuou na goleada por 4 a 0 sobre os japoneses, substituindo o lateral Danilo no decorrer da partida realizada em Cingapura. E a sua passagem pela seleção brasileira se encerrou por aí, antes de o atleta de 26 anos optar por atuar pela Rússia, pela qual sabia que teria muito mais chances de jogar a Copa do Mundo de 2018.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.