Marques e Loebeling na mira do STJD

O presidente afastado do Comissão Nacional de Arbitragem, o ex-juiz Armando Marques, e o juiz Alfredo Santos Loebeling, foram denunciados por crimes de ação pública, além de falsidade ideológica, e poderão ser suspensos do futebol por até 2 anos. Apesar de remota, a possibilidade de uma eliminação definitiva não foi descartada, nesta quarta-feira, pelo presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Luís Zveiter, que marcou o julgamento para o dia 11 de abril. Marques e Loebeling protagonizaram o mais novo escândalo da arbitragem no Brasil. Segundo o juiz, Marques o teria induzido a mentir no relatório da partida entre Figueirense (SC) 1 x 0 Caxias (RS), dia 22 de dezembro de 2001, pela final da Série B do Campeonato Brasileiro. Na ocasião, a torcida do time catarinense invadiu o campo faltando dois minutos para o término do confronto. Na súmula da partida, o árbitro escreveu que o tempo regulamentar já havia acabado na hora da confusão. Por causa dos atos ilícitos, Marques foi denunciado, com agravante, no artigo nº 284 do Código Brasileiro Disciplinar do Futebol (CBDF) - dar ou prometer vantagem indevida a quem exerça cargo ou função, remunerados ou não, em qualquer entidade dirigente ou associação, para que pratique, omita ou retarde ato do ofício da função, ou ainda para que o pratique contra disposição impressa de norma desportiva. A pena é de suspensão de um a dois anos ou eliminação, se reinscidente. Já Loebeling foi denunciado, com agravante, nos artigos nº 281 - falsificação no todo ou em parte de documento público ou particular, inserir ou fazer inserir declaração falsa ou adversa do que deveria ser inscrita (pena de 180 a 360 dias, ou eliminação, se reinscidente); nº 315 - deixar de observar as regras do jogo (pena de 30 a 120 dias de suspensão); e nº 328 - assumir em praça desportiva antes, durante ou após atitude contrária a disciplina ou moral desportiva (pena de 30 a 90 dias). Além de Marques e Loebeling, os auxiliares Nilson de Souza Monção, Marcelino Tomaz de Brito Neto, Guiliano Bozzano e Jeferson Schdmit foram denunciados no artigo nº 286 - deixar de praticar ato ou ofício por interesse pessoal. A pena é de 120 a 360 dias de suspensão. Olheiros - O presidente do STJD também informou que requisitou as fitas de vídeo da partida entre Fluminense e Vasco, para observar a atuação do juiz Antônio Pereira da Silva. Segundo ele, "olheiros" do tribunal relataram que Silva teve um péssimo desempenho, tendo cometido vários erros. "Isso é só o começo. Vamos ver com calma o que faremos. Mas, a partir de agora, sempre teremos pessoas observando os jogos de qualquer competição", disse.

Agencia Estado,

27 Março 2002 | 19h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.