Werther Santana/ Estadão
Werther Santana/ Estadão

Mesmo em grande desvantagem, Ponte Preta não deve preservar jogadores na decisão

Equipe joga pela Sul-Americana na terça-feira

Estadão Conteúdo

01 Maio 2017 | 19h50

Ainda sob o impacto do inesperado placar, por 3 a 0, na derrota para o Corinthians, no primeiro jogo final do Campeonato Paulista, a Ponte Preta começa a se preocupar com o restante da temporada. A comissão técnica garante que não vai poupar ninguém no segundo jogo, no estádio Itaquerão, em São Paulo, no domingo, mesmo sabendo que tem um jogo decisivo, na terça-feira seguinte, pela Copa Sul-Americana.

A possibilidade foi levantada mesmo porque só um milagre vai reverter a vantagem corintiana para a disputa do título estadual. A Ponte Preta precisa vencer por quatro gols de diferença para ser campeã ou ganhar por três gols e levar a definição para os pênaltis.

A direção já confirmou que na segunda-feira, dia 8, um dia após a decisão em São Paulo, a delegação vai viajar para a Argentina, onde vai enfrentar o Gimnasia La Plata, pelo jogo de volta da primeira fase da Copa Sul-Americana. O primeiro confronto, em Campinas (SP), terminou empatado sem gols. Quem vencer avança de fase.

Os dirigentes lamentaram a negativa da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) em adiar o jogo para o dia 11 ou mesmo para 16 de maio. Mesmo porque pretendiam ter, pelo menos, uma semana de folga antes da estreia no Campeonato Brasileiro, no dia 14, em casa, diante do Sport. É uma maratona de jogos.

PROBLEMAS - O elenco volta aos treinos nesta terça-feira, quando vão ser avaliados com calma os jogadores machucados. A maior preocupação é o zagueiro Yago, que sentiu uma lesão muscular, e dificilmente vai ter condições de se recuperar a tempo. Do outro lado, o zagueiro Marllon volta após cumprir suspensão automática.

Outro jogador que inspira cuidados é o meia Clayson, que sentiu fortes dores musculares no segundo tempo da decisão. Ele apresenta uma condição de elevado stress muscular e pode ser poupado no jogo de volta. O técnico Gilson Kleina já adiantou que vai aguardar um relatório físico e médico antes de pensar em escalação.

Presença certa é a do artilheiro William Pottker, que fará a sua despedida do time, uma vez que depois vai se apresentar ao Internacional ao fim do Paulistão. A transferência foi acertada há dois meses.

Mais conteúdo sobre:
futebol Corinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.