1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Copa 2014

Messi e Neymar têm encontro marcado na final da Copa

Luiz Antônio Prósperi - Enviado especial a Teresópolis - O Estado de S. Paulo

26 Junho 2014 | 05h 00

Fortes candidatos a melhor jogador do Mundial só poderão se enfrentar na decisão do torneio

O encontro marcado entre Neymar e Messi ficou para a final da Copa. Com a vitória diante da Nigéria, a Argentina só pode cruzar com o Brasil na decisão do Mundial, dia 13 de julho, no Maracanã. Até lá, Neymar e Messi devem travar o duelo pela artilharia do torneio – os dois têm quatro gols cada – e fazer valer a fama de que Brasil e Argentina são reféns da genialidade da dupla do Barcelona.

Até chegar ao jogo no Maracanã, os dois craques têm de remar muito. No caminho de Neymar nas oitavas de final, aparece o Chile – time que marca forte com uma linha de cinco zagueiros e sofreu três gols em três jogos. Na estrada de Messi, a Suíça – defesa frágil, com seis gols sofridos em três jogos.

Nas recentes entrevistas que concederam, o brasileiro e o argentino rejeitaram todas as projeções de que vão brigar até o fim pelo título de o "jogador da Copa". Insistem em dizer que trocam eventuais conquistas pessoais no Mundial pela taça de campeão. E não deixam de reforçar a amizade que têm desde que se encontraram no Barcelona no ano passado.

Wilton Junior/Estadão
Neymar tem um gols a mais que Messi nesta Copa

Neymar não esconde sua admiração por Messi. Na terça-feira, 25 de junho, Lionel Messi completou 27 anos de idade. Enquanto era saudado pelos companheiros de seleção argentina, em Porto Alegre, recebia via Instagram uma mensagem de Neymar: “Feliz Cumple Crack... Mí ídolo (Feliz aniversário craque... Meu ídolo), dizia o texto acompanhado de uma foto dos dois se cumprimentando em um jogo do Barcelona.

O craque brasileiro está em sua primeira Copa do Mundo. Messi engata a sua terceira. Nas duas primeiras, marcou apenas um gol: em 2006, na Alemanha, quando ainda era um menino e pouco jogou. Na África do Sul, em 2010, fez um bom torneio, mas esbarrou na falta de organização da Argentina comandada pelo técnico Diego Maradona.

Desembarcou no Brasil pressionado a ser o “senhor da Copa”. Em três jogos, fez gols decisivos contra Bósnia, Irã e ontem diante da Nigéria. Na Argentina, já atribuem a Messi nesse Mundial de 2014 o papel fundamental que Maradona teve na conquista da Copa de 1986.

Se, no campo, Lionel solidifica a fama de um dos principais destaques do Mundial, nas redes sociais filtradas pela Fifa o argentino também aparece como o primeiro do ranking entre os jogadores que estão na Copa.

Messi alcançava 46.577 menções por hora até 19h de ontem num total de 11.214.417. Neymar era apenas o 10.º, com 15.964 menções por hora, com 9.907.099 no total.

Nos números relativos ao desempenho de cada um, segundo estatísticas da Fifa, Neymar tem aproveitamento de 90,9% de chutes certos. Vence fácil Messi, que tem 53,8% , mas perde em jogadas individuais até a área: 16 a 11 para o argentino.

Neymar entra nas oitavas de final pendurado com um cartão amarelo. Se levar o segundo na partida com o Chile não poderá jogar as quartas de final, em uma eventual classificação do Brasil. Messi está livre dessa ameaça – não recebeu nenhuma advertência. Na briga pela artilharia, Neymar fez quatro gols, sendo um de pênalti. Messi também fez três com a bola em movimento e um de falta. 

Copa 2014