1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Copa 2014

Mundial deve render R$ 1 bilhão a São Paulo

Carla Araújo, Diego Zanchetta, Paulo Saldaña - O Estado de S. Paulo

04 Julho 2014 | 05h 09

Cidade recebeu 347 mil turistas desde o início dos jogos; 121 mil eram estrangeiros – a maior parte veio da Argentina

O turismo em São Paulo por causa da Copa superou as expectativas da Prefeitura. Entre os dias 12 e 30 de junho, a cidade recebeu 347 mil turistas (35% estrangeiros) e espera que o número chegue a 500 mil. A estimativa inicial era de 390 mil turistas até o fim do evento. O gasto médio do visitante e o tempo de permanência também foram maiores do que o esperado.

Segundo a empresa municipal São Paulo Turismo (SPTuris), a cidade já acolheu no período 121 mil turistas de outros países – a estimativa era de receber 63 mil estrangeiros. "Ainda teremos mais um jogo, no dia 9, muita gente está na cidade e ainda faltam dez dias para o fim do Mundial", disse na quinta-feira o secretário municipal para Assuntos do Turismo e presidente da SPTuris, Wilson Poit.

O movimento turístico está 18% maior do que no mesmo período do ano passado. A Prefeitura espera um impacto futuro de crescimento de 20% no turismo da cidade nos próximos dois anos, levando em conta o que aconteceu em cidades que foram sede de outras Copas. Segundo a pesquisa, entretanto, 30% dos entrevistados não acreditam que o evento deixará um legado para São Paulo.

Kirsty Wigglesworth/AP
Maior parte dos turistas em SP são argentinos

A previsão inicial era de que cada visitante gastaria R$ 1,8 mil no período de permanência. Mas os brasileiros têm gastado cerca de R$ 2,2 mil em uma estada média de 4,4 dias (ou R$ 500 por dia). Os estrangeiros estão ficando mais: 8,2 dias, com um gasto de R$ 4,8 mil. Assim, a estimativa da SPTuris é de que o turismo resulte em um impacto de R$ 1 bilhão, acima da previsão inicial, de R$ 700 milhões.

O gasto do turista da Copa é parecido com a média de quem visita São Paulo normalmente, mas é menor do de quem vem para a Fórmula 1: no ano passado, o gasto médio no evento foi de R$ 2,8 mil, em 3 dias.

PERFIL

Dos turistas que estão na cidade para o Mundial, 65% são homens e a maior parte tem entre 30 e 39 anos. Tantos os brasileiros quanto os estrangeiros veem como diferencial da cidade a gastronomia e a vida noturna. O meio de transporte que está sendo mais utilizado é o metrô (quase 40%), seguido por carro e ônibus.

Entre os estrangeiros, os latino-americanos predominam. Só os argentinos representam 32% do total. No Masp, no Parque do Ibirapuera, no Mercadão e em outros pontos turísticos de São Paulo, os argentinos pareciam onipresentes nos últimos dias. "É uma cidade muito cosmopolita, as pessoas são prestativas", disse Barbara Trosteriz, de 29 anos, de Mendoza, momentos antes de embarcar na última quinta-feira para Brasília, onde a Argentina joga neste sábado.

Para o também argentino Yago Paraños, de 36 anos, o Ibirapuera foi um dos melhores parques que ele já visitou. "Muito limpo, com bons museus. Deu para passar quase um dia todo."

Um dos destaques percebidos pela SPTuris foi o aumento de visitas a museus. "Só o Museu do Futebol recebeu 3 mil estrangeiros em um dia. A média é de 56 por semana", disse Poit.

O governo federal ainda não tem um balanço total sobre o impacto em todo País, mas o ministro do Turismo, Vinicius Lages, disse que a "marca Brasil" teve um fortalecimento incomensurável. "A imagem do Brasil certamente foi fortalecida", disse Lages, que participou da apresentação da SPTuris.

Copa 2014