Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Muricy garante que não faltou vontade ao São Paulo no clássico

Treinador valoriza a atuação da equipe e lamenta pênalti perdido

PAULO FAVERO, O Estado de S. Paulo

08 Março 2015 | 20h01

O técnico Muricy Ramalho evitou elogios ao São Paulo após mais uma derrota para o Corinthians, mas garantiu que não faltou vontade por parte dos jogadores, neste domingo, no Morumbi, em duelo pelo Campeonato Paulista. "Eles lutaram. Às vezes de forma exagerada, mas eles brigaram e foram para cima. Infelizmente tem horas que não dá. O pênalti a nosso favor foi a grande diferença, ainda com um a mais que a gente tinha em campo. A atitude deles foi boa. Entendo o torcedor ficar irritado pelo resultado, ainda mais diante de um rival tradicional", afirmou.

O treinador acha que o time está encontrando um caminho para encarar o adversário que ficará frente a frente com o Tricolor na última rodada da fase de grupos da Libertadores, dia 22 de abril. "Essa partida está longe, mas já provamos que temos uma grande chance por ser em casa. O São Paulo é um time grande e os jogadores estão acostumados a disputar clássicos", explicou, citando ainda que o time melhorou em relação ao duelo anterior contra os rivais. "Não dá para jogar igual aquela vez. Nós forçamos o jogo, tivemos chances de marcar. Lá o Cássio não trabalhou, desta vez pegou até pênalti."

Ele aproveitou para defender Souza, que ficou na bronca com as críticas da torcida. "A gente pede eles sempre 100% na parte emocional em um jogo como esse. Mas alguns têm problemas. Falar que não leva para campo é mentira. Mas é duro administrar isso. Eles são profissionais. Cobramos no lado profissional, não olhamos no lado pessoal. Conversamos no intervalo. Estamos com ansiedade na conclusão das jogadas. Espero que seja agora. A derrota clareia algumas coisas", continuou.

Muricy agora tentará reerguer a equipe para a partida de quinta-feira, contra o São Bento, no Morumbi. Ele não poderá contar com Rafael Toloi, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. O comandante espera que o time volte a vencer para apagar a derrota no clássico e lembra que o time não pode bobear pois tem uma chave complicada no Campeonato Paulista - mesmo com o resultado negativo, o time manteve a liderança do Grupo 1, com 17 pontos, dois a mais que o Mogi Mirim, que empatou com a Ponte Preta na rodada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.